Blog GUIAS RÁPIDOS

Os principais erros dos iniciantes (e não só…)

erros
Tempo de Leitura: 3 minutos

Não basta ter uma câmara fotográfica para se ser um fotógrafo. Profissional ou amador, há erros que todos cometemos. Uns corrigem-nos, outros também não…

Há pequenos truques que todos gostávamos de ter sabido antes. Ter-nos-iam evitado cometer erros básicos que nos consomem muito tempo. Os principais erros cometidos por iniciantes são simples e, de certa forma, todos nos roubarão uma singela confissão: “Ahh! Isso é básico…“. Pois bem, ainda assim há muita gente (e nem imaginam quanta) que os comete…

Conhecer o equipamento

O manual de instruções é mais um daqueles acessórios que só serve para encher e acomodar a câmara dentro da caixa. O que lá está escrito pode ser aplicado a qualquer eletrodoméstico, de tão genérico e básico que é….

Deixem-se disso!! Já alguma vez perderam tempo a abrir o manual da vossa câmara? Já repararam que lá tem algumas informações valiosas que vos tinham poupado muito do tempo que gastaram à procura?

Seleção de velocidade, abertura, escolha do ISO ou balanceamento de brancos. Configurar o Wifi ou perceber como acionamos o histograma. Quando mudamos de máquina é normal que estas funcionalidades estejam disponíveis com um acesso diferente. Todas as Canon têm estas opções (excecionando o Wifi que não é nativo de todos os modelos), as Nikon também…

Imaginem-se a mudar de uma para a outra. O mais fácil é pegarem no manual… ou ver um vídeo no youtube. No final de contas temos é de conhecer o equipamento antes de o usarmos.

Escolha das lentes

É importantes estarmos certos do que pretendemos fotografar… A escolha da lente não é uma questão meramente de investimento. É óbvio que cada um faz as omeletes com os ovos que tem, mas havendo possibilidade, devemos ter consciência de que lente devemos usar em cada ocasião.

Por exemplo, a utilização de uma grande angular pode distorcer a cara de um qualquer indivíduo. Lembro-me de uma “brincadeira” que um querido fotógrafo amigo fez com alguns músicos. O seu nome é Rui M Leal e utilizava uma lente Olho de Peixe para captar retratos de músicos (Projeto Ring Portrait). Um resultado, muitas das vezes, irónico, mas propositado. Outros, sem esse mesmo cuidado, podem incorrer num erro crasso…

Condições de Luz

A fotografia de exterior, a menos que não possa ser programada, deve ser evitada quando à incisão direta da luz solar. Calma…! Nós sabemos que esta é apenas uma meia verdade. Na realidade é preciso especificar que a pior altura para fotografar é quando o sol está bem lá no alto, com céu limpo… Aquilo que adoramos ter no verão para ir até à praia, …. é o pior! Para além de “queimar” os detalhes, cria sombras que se podem tornar inestéticas no resultado final da fotografia.

Mais uma vez, situações há em que não contornamos as condições para a prática da melhor fotografia, mas isso, …. é assim mesmo!

Se estão a pensar fotografar ao ar livre, numa sessão programada, e não querem ter surpresas, apanhem sempre o sol ainda (relativamente) baixo. De manhã ou mais ao final da tarde costumam ser as melhores alturas.

Ignorar a Regra dos Terços

Para já não falar noutras regras de composição, a Lei dos Terços é a principal regra que qualquer fotógrafo deve seguir. É simples e faz muita diferença. Não vamos explicar no que consiste a Regra dos Terços, até porque já escrevemos sobre isso. Contudo, convém sempre, principalmente para os menos informados, dar uma olhadela no nosso artigo.

Fotografar apenas em JPEG

Mais um tópico discutível e bastante controverso. Nós por cá, adoramos fotografar em RAW. Não obstante de outras vantagens que o JPEG traga ao processo fotográfico, a possibilidade de manipularmos (leia-se “ajustarmos”) a fotografia em pós produção sem perda de qualidade, leva-nos a preferir este método. Talvez não devesse estar a ser considerado juntamente com os restantes erros, mas preferimos inclui-lo…

 

As regras existem para serem quebradas, dizem alguns. Nós concordamos plenamente, mas precisamos de as conhecer, saber como elas funcionam e qual a influência que têm num resultado final. Depois, para definirmos o nosso próprio estilo, há que as quebrar. Algumas ou todas? Tudo depende da forma como se querem apresentar ao vosso público.

Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia