OPINIÃO REVIEWS

A lente de eleição

Tempo de Leitura: 4 minutos

Depois de ter tido alguns percalços no que respeita a equipamento fotográfico (entre corpos e objetivas) as minhas finanças ficaram abaladas e isso refletiu-se na compra de novo material. Já referi anteriormente que tive um “patrocínio” para a aquisição deste corpo que tenho atualmente (Canon 6D) mas em termos de lentes a coisa acabou por nunca se compor. Fui pedindo lentes emprestadas e recorrendo a reviews para poder fotografar de acordo com as necessidades, até que resolvi dar ouvidos a um amigo que insistia comigo na compra dA lente de eleição.

Ele é um dos principais fornecedores de material emprestado e alguém com quem tenho ido fotografar (principalmente) desporto motorizado e uma das lentes que costuma usar é uma 70-200 f/4.0. A lente é muito boa, rápida e com uma estrutura sólida, mas nunca percebi qual poderia ser a mais valia em comprá-la sem ser para desporto ou até mesmo concertos musicais (ou espetáculos). Numa perspetiva diária, não me parecia ser a escolha acertada, até porque o orçamento era curto e a necessidade de uma objetiva mais polivalente sobrepunha-se a qualquer outra compra, mas o facto dele insistir e de ser credível fez-me equaciona a hipótese.

Em tom de brincadeira comecei por ver preços no OLX. Tinha ideia de poder comprar uma Canon 70-200mm f/4.0 por cerca de 600€, mas os preços que via eram bastante superiores. Haviam, porém, uma ou outra que ficavam um pouco acima do meu limite, mas nada de escandaloso, fazendo-me ponderar… O contacto foi ficando em stand-by, até porque não tinha desistido de comprar uma 50mm f/1.8 que é, para mim, uma das minhas lentes de eleição e cujo (meu) exemplar tinha estatelado no chão do quarto dos meus filhos.  AO mesmo tempo que ia piscando o olho à 70-200mm, estava era atento ao preço das 50mm que teimavam em fixar-se junto aos preços das novas. Como o festival MEO Marés Vivas estava à porta e precisava de uma lente zoom de eleição, decidi avançar com a compra da 70-200mm.

Muito a medo, lá combinei um local seguro, e público, para efetuar a compra. O valor que tinha comigo não dava para efetuar a compra, mas rapidamente tudo se tornou bem mais simples e assustador (ao mesmo tempo). Depois de confirmar a qualidade da lente e o seu bom funcionamento, pedi ao ainda dono que me acompanhasse ao Multibanco afim de proceder ao levantamento do remanescente. Em vez disso, ele fez questão de me dar o NIB para que eu fizesse transferência. Tudo muito estranho, mas como tinha o dinheiro e a lente do meu lado, nada havia a temer…

Testei, testei e testei. Aquela lente era usada, mas funcionava muito bem. Tinha inclusivamente acabado de ser limpa por um profissional… Estava gasta, mas imaculada em termos de mecanismos internos. Cada vez mais me convencia que o fulano poderia ser enganado… Poderia eu ficar com uma lente em excelente estado, a preço de saldos (zero euros), fosse eu outra pessoa. Obviamente que a compra foi feita e o dinheiro foi transferido.

Enquanto tive outras objetivas, a coisa foi funcionando muito bem, mas quando dei por mim a ir passar um fim de semana em família (com os meus filhos, portanto) e sem ter outra lente para além da 70-200mm a coisa “piou fininho”! Bem ou mal, eu gosto da matemática fácil: ou não fotografava ou levava o equipamento disponível. A escolha era óbvia. Certo é que, surpreendentemente, não precisei de outra lente. Entre umas horas no rio e no parque aquático, as fotografias foram saindo sem que sentisse que o meu posicionamento fosse uma entrave. Assim como assim, com a 50mm, já sentia alguma dificuldade por estar demasiadamente próximo do “alvo” pelo que aqui já não estranhei tal facto.

A utilização foi fluida e rapidamente alternada apenas na perspetiva da fotografia. Os principais pontos que considero a favor desta lente são os seguintes:

polivalência

Provavelmente a lente que todos deveriam ter nas suas Canon. Com certeza que não seria a lente mais utilizada – e ainda assim não percebo porquê – mas a versatilidade e a pluralidade de utilizações comportam sessões de desporto, moda, retrato, paisagem, etc. A minha primeira objetiva foi uma SIGMA 18-200mm que só vence esta 70-200mm no preço. Talvez seja esta a única razão pela qual o pessoal não a considera como uma must have. Mais uma vez, é certo que começar a fotografar nos 70mm pode ser um contra nalgumas situações, mas por isso é que esta não é a única lente existente no mercado. Fora isso, a sua versatilidade é qualquer coisa do outro mundo.

material de construção

A estrutura física da lente é bastante resistente; não admira que a tenha conseguido comprar nas condições em que esta(va). Facilmente contraria os mais céticos (leia-se “invejosos”) pois o seu peso de aproximadamente 700g vence aos seus concorrentes mais diretos. Facilmente transportável, resiste a alguns “toques” (não testei com grandes pancadas, nem tenciono fazê-lo) e a algumas condições atmosféricas mais adversas.

velocidade no foco

Algumas das lentes mais comuns são baratas, robustas, mas têm alguma lentidão na focagem. Com esta, que agora é a minha lente de eleição, os problemas de focagem deixam de se fazer sentir. Obviamente que não é instantânea, mas nem eu sou profissional. Ainda assim, o seu comportamento em situações de stress e de necessidade, a sua correspondência deixou-me abismado. Rápida e fiel, a Canon 70-200mm f/4 IS cumpre com as exigências de quem quer muito, mas tem pouco para gastar.

qualidade de imagem

Já aqui foi dito por várias vezes que a qualidade da imagem reside maioritariamente na qualidade da lente. A 70-200mm da Canon parece-me ter sido a sua “galinha dos ovos de ouro”. Rapidamente chegou às mãos do mundo que a considerou como a vencedora da sua gama, caso houvesse uma eleição. Contudo, a publicidade que foi gerada à sua volta faz com que pensemos que pode ser inatingível. Inconfundível e muitas vezes conhecida como a “objetiva branca” rapidamente se tornou alvo de cobiça por quem não a usa. Todos sabem que lentes tens montada no corpo… e o facto de ter a “risquinha vermelha” é sinal de que já se enquadra na gama mais premium.

É fácil de perceber por que razão passou esta a ser a minha lente de eleição. Não obstante de a andar a namorar há já bastante tempo, e de ser uma lente de 2006, não me deixa nada desiludido. Nem sequer o facto de a ter comprado usada… Aliás, até fico bastante agradado com a experiência e com o resultado da minha aposta.

Façam como eu; Canon lovers, considerem esta lente, caso ainda não o tenham feito. Comprem a versão mais barata, a f/4 pois servirá os vossos propósitos (além de vos dar um ar bem mais profissional. Usem e abusem do material; este gosta de “levar coça” como costumamos dizer. Adoro ter atitudes inteligentes e esta foi uma delas.

 

 

Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia