GUIAS RÁPIDOS

Interiores: O novo “porquinho” mealheiro

A fotografia é tão vasta quando se desejar. Fotografa-se tudo e todos, sem que haja barreiras para a imaginação. Ganhar dinheiro com o “vício” é desejo universal, mas nem todos conseguem. A fotografia de interiores promete revelar-se um pé de meia eficaz.

A fotografia de interiores está na moda! Ele é imobiliárias, AirBnB, Alojamentos Locais, Hostels e residenciais, …. é só abrir um qualquer site web dedicado ao ramo imobiliário e a coisa é facilmente percetível.

Uns querem comprar casa, outros vender! Mesmo para uma solução mais temporária, é importante ser agradável à vista. Os olhos também comem, sempre ouvi dizer, e é bem mais agradável tentar fazer negócio com uma casa cuja “mentra” é mais apelativa do que escolhermos apenas e só pelo preço.

As imobiliárias debatem-se com soluções visuais, muitas das vezes únicas vantagens perante a concorrência. As fotografias de interiores poderão ser a chave para a realização do negócio. Por norma, um proprietário contacta várias imobiliárias para tentar vender o imóvel o mais rapidamente possível. Se o fator preço é fundamental para quem compra, provavelmente nem reparam que estão a lidar com o mesmo produto, no caso das fotografias serem mais profissionais.

Assim, este artigo poderá ser uma vantagem para quem pretende amealhar uns trocos com a fotografia. Não dará para ganhar a vida, a menos que sejas o fotógrafo oficial de uma cadeia de estabelecimentos, mas pelo menos dá para os “excessos” do dia a dia.

 

Usa um tripé

Se há dicas que são simples, esta é talvez a primeira que nos vem à cabeça. Nem sempre a luminosidade é a perfeita para a ocasião. Um dia mais cinzento ou uma divisão com menos luz direta fica sempre sujeita… Com um tripé escusas de aumentar o ISO e, por conseguinte, o ruído na imagem. Podes manter ISO bais, aumentando o tempo de exposição. Por usares um tripé, estás certo de que jamais terás uma imagem tremida.

 

Live View

Nem sempre temos consciência de como ficará a imagem final. Na fotografia de interiores, é importante que cada “chapa” revele o melhor ângulo e as melhores caraterísticas da divisão. Com a opção Live View, ser-te-á mais fácil veres o que, no final, será a tua grande produção. Pessoalmente n\ao gosto de fotografar com recurso ao Live View, mas considero a sua utilidade numa ou noutra situação.

 

Grandes Angulares

Mostrar um pouco mais do que, normalmente, é possível através das lentes fixas pode ser uma grande vantagem. Tendemos a errar ao colocarmo-nos num canto e tentar, a toda a força, mostrar os restantes 3. A utilização das grandes angulares não deve ser levada ao limite. Mostrar um pouco mais do que o normal, um pouco mais do que simplesmente a cama ou o armário. A fotografia deverá simular o olho humano e, a menos que sejamos descendentes de camaleões, jamais teremos uma visão tão periférica.

 

Perspetivas

Utilizar uma ou duas perspetivas apenas pode trazer vantagens. A fotografia de interiores vive de ângulos e de diferentes pontos de vista. Mostrar um canto de uma sala ou a cozinha, vista de locais diferentes, poderá dar uma outra sensação de profundidade e de dimensão. Provavelmente não utilizarás todas as fotografias que tirares, mas algumas poderão revelar-se bem mais úteis do inicialmente pensavas.

 

Fotografa ao nível do peito

Cada fotografia deverá ter o mínimo de erros possível. As paredes, por incrível que possa parecer, poderão dar-te uma ajuda preciosa. Ao fotografares ligeiramente abaixo do nível dos olhos, poderás corrigir, automaticamente, a perspetiva. Com as paredes “direitas” o transporte do potencial cliente para dentro da divisão é feita de uma forma mais real. O resto dos desvios poderão ser corrigidos no Adobe Lightroom (por exemplo).

 

Nível

Não! Não estou a falar do nível qualitativo da fotografia, mas sim da “bolha de nível”. É importante ter as fotografias niveladas, sem dar a sensação de que um dos lados está mais baixo que outro.  Esta é outra forma de manter as “paredes direitas”, dando a verdadeira perspetiva da divisão.

 

Flash

Sempre que necessário, e possível, utiliza o flash. Não para iluminares a sala ou o quarto, mas para preencher o ambiente. Sem ser um ponto fulcral, a ajuda que esta iluminação secundária te trará, vai fazer toda a diferença, no final.

 

Pós Processamento

Como é lógico, o pós processamento faz parte de todo o processo fotográfico. Outrora revelavam-se as fotografias, agora tratam-se em computador. Afinam-se detalhes, cortam-se e enquadram-se e, apenas depois, se dá como concluído o trabalho.

 

Retrato

Como dica adicional, utiliza a fotografia em orientação de retrato. Caso possa ser uma das opões, esta orientação é bastante utilizada, em fotografia de interiores, para as publicações impressas. Revistas ou suplementos escolhem sempre este tipo de fotografia para a sua imagem de capa.

 

Posto isto, arrume muito bem a vossa casa e … fotografem. Lembrem-se que, por muito bonitas que as fotografias possam sair, ninguém compra uma fotografia mal pensada. Nada de roupa pousada, tábuas de passar a ferro e/ou cozinhas por arrumar. Cada fotografia deverá revelar uma divisão de um imóvel acabado de construir e… acolhedor!

 

Artigos que podem interessar

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia