INSPIRAÇÃO

20 formas de criar inspiração

Andamos a semana toda de máquina ao ombro à espera de uma oportunidade para fotografar. Metade do tempo estamos confinado ao nosso escritório pelo que o tempo que temos dedicado à fotografia é escasso, dificultando um resultado capaz de igualar a nossa vontade. O “querer” e o “desejo de produzir fotografia” podem ser elementos que funcionem como inibidores. Em vez de conseguirmos tirar “aquela” fotografia, fazemos apenas o registo de algumas imagens podendo em alguns casos servir como algo desmotivante.

A inspiração deve estar latente em todos os momentos; nos programados e nos espontâneos, nos fáceis e nos difíceis, nos profissionais e nos de lazer. Todas as fotografias deverão ser únicas e é essa a razão que nos leva a fotografar. Transmitir o que nós vemos e não o que vêem (ou querem ver) os outros. Mas onde podemos ir buscar a nossa inspiração? O que podemos fazer para idealizarmos uma fotografia? Este artigo prevê a apresentação de 20 situações que poderão ser produtivas para a fotografia.

1. Cinema. Vá ver um filme, mas tenha em atenção os pormenores. A história, os atores, os personagens e até mesmo o cenário poderão ser a razão da sua próxima fotografia. Transporte a ideia para o seu dia a dia e tente reproduzir a imagem desejada.

2. Redes Sociais. Sites como o Flickr, o Instagram e Pinterest são normalmente grandes fontes de inspiração. O Google+ é também conhecida por  estar mais vocacionada para esta área de interesse pelo que vários profissionais e amadores usam estas plataformas para dar a conhecer o seu trabalho. Inspire-se no trabalho dos outros, mas cuidado… inspirar não significa copiar!

3. Inove nas técnicas. Nem sempre a fotografia perfeita é previsível e imediata. O simples facto de alterar as configurações ou as técnicas envolvidas poderá ser o suficiente para que o resultado seja diferente. Aprenda um pouco sobre luz! Dominando este tópico, tudo se torna mais fácil.

4. Faça um Photowalk. Photowalk são ações desenvolvidas por grupos de fotógrafos com vista a, em conjunto, passearem, a pé por uma determinada zona, em busca de novas perspectivas visuais. Partilhe as suas ideias, os seus pontos de vista e tente perceber de que forma fotografam os seus colegas. Talvez consiga começar a olhar um objeto sob uma perspetiva diferente.

5. Capas de CDs. …para não falar em discos de vinil. Vá até à sua coleção musical e percorra os CDs em busca de artes visuais. Ao mesmo tempo em que revive velhas músicas que lhe trarão lembranças esquecidas (que por si só poderão ser uma fonte de inspiração), perceba a grandiosidade da imagem que revela uma história musical.

6. Ouça velhas músicas. Como referido anteriormente, a mensagem contida em determinada música pode tornar-se numa inspiração. Feche os olhos, ouça (interprete) a letra e a mensagem da música. Que imagem lhe salta à memória?

7. Photoblogs. Não é a primeira vez que falamos da importância de cada fotógrafo ter um blog, um Photoblog. Para além de servirem como montra para o trabalho realizado, devem servir como fonte de inspiração. De certa forma, a fotografia funciona como a moda; há tendências e práticas mais em voga em determinados momentos e para determinados tipos de fotografia. Inspire-se!

8. Inicie um projeto fotográfico. Normalmente, a execução de um projeto fotográfico requer alguma continuidade. O 365 obriga a recolher pelo menos uma fotografia por dia, durante um ano inteiro; o 50.50.50 “diz” que o fotógrafo deve utilizar uma lente de 50mm para tirar 50 fotografias, durante 50 dias seguidos. Depois há o desafio dos “100 estranhos, 100 histórias” e outros tantos onde podemos recorrer…

9. Leia um revista. Esqueça as revistas cor de rosa e foque-se nas temáticas. Elle, Vogue, Wired, O Mundo da Fotografia Digital ou outras cujos conteúdos são mais cuidados, utilizam uma comunicação visual muito forte. Assim, a escolha das fotografias é algo que requer alguma preocupação por parte da equipa editorial que, para si, lhe servirá como inspiração.

10. Fotografe um evento desportivo. O desporto está em todo o lado. Sendo o futebol o desporto rei, há todo um conjunto de outras modalidades que, a troco de nada, poderão aceitá-lo durante um encontro/jogo/competição para recolha de imagens. Deporto infantil ou simplesmente alguém a fazer Jogging podem ser alternativas válidas. As técnicas requeridas são diferentes, elevando a qualidade e o proveito do exercício.

11. Visão 360º. Abandone o olhar frontal. Olhe para os lados, para trás e até para cima e para baixo. Coloque-se em cima de um banco ou sente-se no chão para ter outra perspetiva. Treine posições e perceba qual o impacto dos ângulos. Procure reflexos e sombras, fotografe através de vidros e janelas.

12. Fotografe para uma época festiva. Natal, carnaval ou páscoa; S. João, Sto. António ou Mártir S. Sebastião… Há épocas festivas para todos os gostos: religiosas e pagãs, nacionais e locais. Encarne o verdadeiro espírito da celebração e fotografe em conformidade. Transmita o que de mais relevante aquela festividade tem para oferecer. A festa dos Tabuleiros de Tomar ou a Romaria da Sra d’ Agonia de Viana do Castelo são duas das inúmeras festas populares que captam a atenção de milhares de pessoas.

13. Reproduza grandes mestres. Pese embora o facto de que não devemos copiar o trabalhos dos outros, não deixa de ser um exercício interessante. Na busca da perfeição ou da aproximação do “original” desenvolvemos capacidades e conhecimentos de uma forma mais interessante do que se o fizéssemos academicamente.

14. Fotografe um modelo. independentemente do seu conceito de beleza, escolha alguém que aprecie e tente reproduzir a sua “figura”. Fotografar pessoas é um desafio maior do que se possa pensar. Não nos devemos cingir ao disparo, mas temos de nos preocupar com a representação de emoções e expressões.

15. Sorteie um tema. Num momento de inspiração excessiva, ou numa noite com amigos, faça(m) uma lista de temas para fotografar. Coloque-as num bloco, num livro ou simplesmente num documento de texto no seu smartphone. Sempre que esgote as suas ideias escolha aleatoriamente um tema da lista previamente feita.

16. Galerias de arte. Mesmo que não seja apreciador, faça uma visita a uma galeria de arte. Vai ver que se deixará contagiar pelo ambiente e, quando menos esperar, estará a olhar para as peças de uma forma diferente. Interprete-as sem recorrer à explicação do criador e use essa informação para esboçar o seu novo trabalho.

17. Entre em concursos. Todos os meses há concursos fotográficos. Ora organizados pela FNAC, pelo Instituto Português de Fotografia; pela imprensa da especialidade (O Mundo da Fotografia Digital, Zoom, …) ou por sites como a FOTO GURU. Sempre subordinado a um determinado tema, o objetivo é conseguir captar a atenção de um júri. Nestes casos o “Bom” não chega… tem de ser “O Melhor”!

18. Fotografe a sua família. Este deverá ser o “ponto de não retorno”. A sua família está sempre presente, não necessita de programar sessões ou aguardar o acontecimento de um qualquer evento para colocar em prática os seus dotes fotográficos. Poderá tender para ser simpática com o seu esforço, mas por vezes são também os mais exigentes.

19.Fotografe comida. Comece pelo seu prato preferido, pelas refeições caseiras. Comidas elaboradas com vários elementos (feijoada ou rancho) têm texturas e cores capazes de criar resultados interessantes. Evolua para aqueles pratos “requintados” e faça com que, quem vê as fotografias, tenha vontade de comer…

20. Fotografe no escuro. Não imaginam como a inversão das condições atmosféricas pode influenciar a qualidade do resultado final. Fotografar à noite é tão diferente de o fazer com luz natural… a utilização de tripés, o ISO elevado e a velocidade do obturador. Fotografar à noite pode revelar-se no exercício perfeito.

Quantas vezes mais vão dizer que não sabem o que hão-de fotografar?

Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia