Blog OPINIÃO REVIEWS

X-T3, a Fujifim inimiga da FOTOGURU


Tempo de Leitura: 4 minutos

Servir de exemplo para os mais recentes fotógrafos, sempre foi o mote da FOTO GURU. Truques e Dicas ou soluções caseiras para alcançar resultados profissionais não fazem mais sentido. A Fujifilm X-T3 é o Anti-Cristo que vem questionar todas as nossas crenças.

Fotografia de destaque retirada do site f16.click

Desde sempre nos regemos por convicções fortes e contra todas as correntes mais mercantis. Não acreditamos que seja preciso uma câmara melhor para que o resultado fotográfico seja igualmente melhor. Tivemos o privilégio de experimentar outras câmara, inclusivé a versão X-PRO2 da Fujifilm. Com a nova X-T3, somos obrigado a confessar que a FOTO GURU deixa de fazer sentido, enquanto continuar com esta linha de raciocínio.

O primeiro contacto com esta nova câmara é impressionante. Robusta, apresenta uma forte componente eletrónica aliada à beleza do analógico. Os seletores de ISO e de Velocidade estão bem enquadrados no global e conferem-lhe o estilo retro desejado. A máquina tem presença e é motivo de orgulho para quem a transporta.

O dia foi curto para fazer uma análise aprofundada às suas caraterísticas mais fortes. Contudo, a vontade de fotografar é inerente à posse. Fiz o que já não fazia à muito tempo… Peguei na nova Fujifilm X-T3 e fui. Não sei por onde andei, não sei que destinos percorri, mas o certo é que qualquer local passou a ser passível de ser fotografado.

Na FOTO GURU, acredito que o equipamento não faz a fotografia, que não é preciso ter uma máquina cara para ter um resultado profissional. Sou apologista de soluções mais baratas, mais comuns, para obter o melhor resultado. Até aqui eram estes os princípios que perseguia e que praticava. Com esta câmara, sinto-me um vendido! Esqueçam tudo o que aqui foi dito ao longo destes 2 anos de existência e apostem numa câmara a sério…

Design

Já aqui falei no aspeto da nova X-T3. Se és daqueles que gosta de estar na moda, esta câmara não te vai ficar indiferente. Não é que seja importante para o que vais fazer com ela, mas se te sentires melhor ao carregá-la, então porque não havemos de ligar a esta vertente? Não há paparazzi com Fujifilm. O aspeto pesado, negro e mais obscuro de quem carrega uma DSLR fica automaticamente camuflado. Senti isso…

Sempre tive dificuldade em fotografar desconhecidos, sinto que lhes estou a roubar a alma (tal e qual os Índios). Hoje senti-me mais forte e sempre acreditei que a presença de uma câmara mais fashion afastasse a ideia de me poderem processar com base no RGPD.

 

Peso

A Fujfilm X-T3 é uma câmara mirrorless e, como tal, é mais leve que as DSLR. É esta uma das principais vantagens! Chegar a meio do dia e nem me lembrar que carregava uma câmara ao ombro (e a configuração usada trouxe o respetivo grip) é qualquer coisa que nos deixa satisfeitos.  Cerca de 150g a menos, ao final de umas horas … São uns kilos ao final do dia. É um alívio.

Nitidez

Desde há  um tempo a esta parte, sinto que a minha 6D não me dá a qualidade que pretendo. As imagens não saem tão nítidas quanto desejava. Hoje, com esta configuração, passei a ponderar melhor a minha próxima escolha. A qualidade de imagem da X-T3 é irrepreensível. A nitidez, os contrastes e a forma como as cores trazem realidade à imagem… São 26.1 megapixels com centenas de pontos de focagem para uma melhor precisão.

 

Preço

Não há bela sem senão e, no final, o que importa é sempre quanto temos de despender para conseguirmos ter um equipamento destes. No caso da X-T3 que testei (ou melhor, ainda ando a testar) o valor ronda os 1.800€. Sinceramente, nada de extraordinário considerando a qualidade de construção, o sentimento de poder que nos transmite e a qualidade e a fiabilidade de um trabalho profissional.

Ao momento da redação deste artigo, a minha câmara (Canon 6D) está no KuantoKusta a 1.800€ só o corpo! De referir que eu tenho a MkI e o preço anunciado é já da MkII. Pelo mesmo preço, consigo um conjunto corpo + grip + lente…

Quem não fica rendido? Vejam só o vídeo promocional…


 

Felizmente, ainda faltam uns dias até ter de devolver esta câmara. Não sei ainda se conseguirei cumprir com a minha palavra, tal é a vontade de não a entregar. Qual o pior cenário, ter de a pagar? Talvez fosse um final que agradasse a todos… Contudo, uma coisa é certa, até lá a 6D fica na mochila!

 

Ler também


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia