Blog GUIAS RÁPIDOS

Truques para Evoluir Criativamente na Fotografia

Alturas há em que as fotografias saem todas iguais. Não umas a seguir às outras, mas as de todos quanto estão a fotografar. Há truques que o ajudam a evoluir fotograficamente. Os nossos são simples…

Como ja foi anunciado, no passado fim de semana, tivemos presentes no Festival MEO Marés Vivas, com o apoio de dois parceiros. Como sabem, na fotografia de concertos, há uma área reservada a fotógrafos, comummente denominada por pit onde, por um periodo finito de tempo, podemos fotografar livermente (por norma são 2 ou 3 músicas). E perguntam vocês: “Em que é que isto está relacionado com evoluir fotograficamente?“. Eu passo a explicar…

No último dia do Festival do passado fim de semana atuou Sting. Neste artista as condições foram diferentes. Podíamos fotografar apenas as duas primeiras música, apenas no pit (fora dele estávamos proibidos por cumprimento de contrato assinado), e nas laterais. Ou seja, as fotografias de qualquer fotógrafo seriam iguais ou muito parecidas. Limitados em termos de tempo e espaço não há muito mais a fazer que não seja o básico. Pois bem, aqui entra a capacidade de evoluir.

Quanto mais estivermos à vontade na fotografia e em situações adversas, sejam elas quais forem, melhor preparados estamos para as enfrentar. Então, a melhor forma de evoluir na fotografia é através destas pequenas dicas que, ainda por cima, não requerem qualquer investimento extra (ou exigem muito pouco).

Fotografe diariamente

É comum percebermos que existe uma ligação extrema entre alguns fotógrafos e o seu equipamento. O hábito de fotografar diariamente cria a cumplicidade e a certeza das capacidades do fotógrafo e do seu material. A fotografia é o momento, e isso pratica-se no dia a dia. Aprender a ver e a antecipar um registo vem da prática. Vejam o que acontece nos outros campos de ação: os atletas treinam todos os dias, os músicos ensaiam todos os dias, e assim sucessivamente. Aqui, na fotografia, seremos tão melhores quanto mais prática tivermos.

Ainda assim, devemos perceber que esta atividade não deve ser pressionada nem tão pouco identificada como obrigação. Será uma parte de uma rotina, tão banal como tomar café. Por exemplo, todos os dias antes de entrarem para o trabalho, fotografem alguém que passa. Fotografem todos os dias a mesma rua, …. definam uma estratégia e um “objeto” e pratiquem. Daqui a uns tempos, avaliem a evolução.

Trabalhe de Forma Colaborativa

Esta tarefa existe, principalmente, para as alturas de pouca inspiração. Combinem com um outro amigo e saiam. Fotografem o mesmo objeto, seja ele qual for. De seguida, troquem os cartões de memória e editem o trabalho do outro. Rapidamente podem perceber qual o grau de inovação e criatividade que existe ao ver um trabalho de raíz. Pegando num ficheiro em bruto, cada um de nós terá uma intenção de o editar. Contudo, se virmos a forma como outros trabalham as nossas fotografias, poderemos pensar de outra forma no momento da captação da imagem.

Lembrem-se que nem sempre olhar para o trabalho dos outros é copiar. É uma excelente forma de inspiração.

Experimente a Novidade

A Zona de Conforto é o que faz de nós bons naquilo que fazemos. Tornamo-nos especialistas em fazer “cada vez mais, de cada vez menos!“. As técnicas de fotografar bebés são bastante diferentes de fotografar desporto ou concertos. Experimentem novas abordagens. Já aqui falamos de uma experiência que o Miguel Lemos teve na fotografia de concertos. Habituado aos casamentos, fotografou da mesma forma, num ambiente diferente. O resultado foi tão bom que o próprio artista acabou por partilhar o trabalho dele nas Redes Sociais (divulgação “gratuita”).

Use Material Diferente

Não é o material que faz o fotógrafo, todo sabemos. Contudo, a habituação impede-nos de evoluir. Ao usarmos material diferente temos a possibilidade e a capacidade de nos adaptarmos a novas situações. Se, por exemplo, estivermos habituados a fotografar com uma 18-55mm teremos a visão formatada para aquele tipo de material. Ao pegarmos, por exemplo, numa prime ou numa teleobjetiva obriga-nos a repensar toda a fotografia.

 

Na fotografia nada falta ser inventado. Há todo um conjunto de diretrizes que nos levam a desenvolver um trabalho eficaz. Mas a rotina destrói a paixão e reduz a capacidade criativa. Hoje a fotografia vive essencialmente de fotografar de maneira diferente e não de ter uma fotografia de um lugar especial, de difícil acesso.

Experimentem estas dicas e verão que começam a evoluir de uma forma mais eficaz e rápida. Depois, tirem partido dos ensinamentos e evoluam ainda mais. Tornem-se referências para outros que são, tal como vocês foram um dia, amadores com pouca experiência.

Artigos que podem interessar

1 Comentário

Deixe um Comentário