OPINIÃO

Sonho em ser fotógrafo; coitadinho de mim!


Tempo de Leitura: 4 minutos

Sou fotógrafo, tiro fotografias. Dizem que sou profissional, mas nem sempre… às vezes fotografo por prazer e para alimentar o portefólio. A minha vida pessoal não me permite dedicar-me à fotografia com tanto empenho e afinco como desejava. Tenho de trabalhar, ganhar dinheiro para as despesas diárias; é que isto de ter de pagar casa, água, luz e ainda por cima ter de por comida na mesa é uma moda que teima em não passar (ainda dizem que as modas são cíclicas…). O meu sonho em viver da fotografia vai sendo adiado, dia após dia.

Com as prioridades bem definidas, nem sempre consigo angariar fundos para o equipamento necessário. Lá vou tendo uns amigos que me vão emprestando algum, outros parceiros da FOTO GURU vão-me cedendo material para testes e reviews, e que uso para os meus fins fotográficos, mas tirando isso… sou o principal fã dos projetos DIY. Quero o mais barato e melhor possível.

Já sou da era digital. Ainda se vivia de rolo quando comecei a ter interesse pela fotografia. Ambicionava poder ter uma máquina e muito dinheiro para queimar, mas isso nunca aconteceu. A máquina havia, mas o dinheiro… era canalizado para outros campos e o facto da experimentação/correção não poder ser imediata, pois tinha de revelar o rolo para perceber o que tinha corrido mal (muitas das vezes sem me lembrar das configurações usadas), fazia de mim um cético quanto ao meu futuro. Comprei a minha primeira DSLR já grandinho, já nos meus 30s. Usava-a, como toda a gente, em automático… até que um colega de trabalho (agora grande amigo), fotógrafo, me ensinou umas coisitas. Usávamos a hora do almoço, das 13h às 14h no Palácio de Cristal, no Porto. Lá me foi dando umas luzes e eu fui aprendendo o resto sozinho.

Muitas vezes fazia de conta que sabia do que se falava. Prioridade à abertura, ISO, velocidades e diafragmas. Muitas das vezes pensei que para atingir o tão desejado sonho de ser fotógrafo, tinha de concordar, mesmo não fazendo a mínima ideia do que se tratava. Mais tarde, em casa, lá ia tentando perceber e era aí que ia aprendendo a teoria da fotografia.

Sou de uma Escola diferente. Venho de informática e sou dos que não concorda que a matemática é fundamental para as áreas profissionais relacionadas com os computadores. Nessa linha de raciocínio também não percebo muito bem por que razão tenho de saber fotografar na teoria. Se posso ter uma câmara nas mãos e corrigir configurações mediante as ocasiões apercebendo-me e aprendendo com base na experimentação, porque raio tenho de saber que, de dia, com sol, tenho de usar o ISO a 100 ou a 200 e a abertura a F/2.0 com velocidades altas. Arrrggghhhh!! Isso para mim não é fotografar; isso para mim é sistematizar! Sou eu que estou errado, reconheço, mas é assim que gosto e que me dá prazer.

O sonho que tenho em viver da fotografia é muitas vezes vedado pela falta de experiência. Se não tens oportunidades, como terás experiência? Então fotografo para mim e para os amigos que vão precisando de umas fotos e que, em troca, me vão dando algo que me dê jeito; tipo troca por troca (normalmente ganho mais eu do que eles, mas é porque eu também sou um tipo “porreiro” e eles também). Como comecei por referir, vou sendo profissional, quando me pagam o serviço, mas parece que a crise chegou a todos e até eles dizem que estão em contenção de despesas. Sempre que é possível vivo o sonho de ganhar dinheiro com a fotografia, mas até ao dia de hoje nunca consegui alimentar o dito sonho da forma que pretendia.

Para mim não é vergonha nenhuma identificar-me como amador. Iniciante já não sou; já ando nisto há uns anos, e tenho a certeza de que tenho trabalhos bem melhores do que muitos auto intitulados profissionais, mas também não me quero meter nessas guerras. Agora, que viver da fotografia exige muito, disso não tenho a menor dúvida. A busca do sonho de “faz o que gostas e não tens de trabalhar um único dia” é muito bonito, mas não é para todos. A quantidade de coisas que temos de abdicar não é simplesmente fácil. Amo a minha família, adoro passar muito tempo com eles. Mesmo que não quisesse, os meu filhos não me deixariam ter outra liberdade. As compensações são muitas e a responsabilidade também.

O facto de ter de ser meu empregador, de ter de fotografar, tratar as fotografias, desenvolver um site e alimentar as redes sociais, procurar clientes e fazer publicidade, ter um orçamento definido para pagar publicações no facebook ou assumir os custos de uma “open session” ou até mesmo de uma exposição leva-me a pensar que precisaria de trabalhar 24h por dia, tendo ainda de fazer horas extra à noite. Ser fotógrafo pode não ser para mim. Prossigo o meu sonho, busco a minha felicidade, mas tenho de me manter consciente e com os pés bem assentes na terra.

Quando me falam e concorrência e deslealdade para com os profissionais da área, não percebo muito bem onde querem chegar! Por vezes penso que se querem desculpar de qualquer falha cometida ou desleixo planeado. Se eu sei o meu lugar, se eu não me dedico mais à causa e ao sonho, e se eles o fazem, porque se sentem ameaçados? Ou não são eficazes (e para isso podem-me contratar para tratar do site, das redes sociais e até de um ou outro ponto mais técnico) ou então eu serei melhor do que eles.

O sucesso faz-se de oportunidades e as oportunidades procuram-se. Podes ser muito bom que, se nada fizeres, jamais serás profissional. Por outro lado, mesmo sendo mais fraco, com a insistência e a busca do sucesso, o teu momento chegará. Pesa os prós e os contra e decide. Pondera o que vais ter de abdicar e do que te privarás para concretizares o teu sonho. Eu, pessoalmente, por muito que me custe, não vou sacrificar os meus filhos pelo meu desejo de viver da fotografia. Deveria tê-lo feito há uns anos, mas também nunca me pareceu oportuno abdicar de alguns confortos em detrimento de um sonho que nunca soube que se tornaria realidade.

Deixemo-nos confortavelmente no nosso emprego das 9h às 17h e continuemos a viver uma ilusão. Ganhemos algum dinheiro que nos vá dando para alguns gastos extra e deixemos os sonhos para quem está disposto a investir tempo, dinheiro e relacionamentos em busca do seu lugar ao sol.

 


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário