OPINIÃO

Roubado; fui roubado… e agora?

pickpocket

Tempo de Leitura: 2 minutos

Qual é o pior cenário que vos pode acontecer? Esqueçam as más fotografias, os trabalhos perdidos por problemas de computador ou até mesmo terem-se esquecido de carregar a máquina antes de uma sessão fotográfica. “Fui roubado” é a frase mais temida de quem investe em equipamento fotográfico e, posteriormente vê todo o seu esforço ser levado por quem ambiciona uma vida fácil, desprovida de valores morais.

Como sabemos são raros, ou inexistentes, os planos de seguros que cobrem materiais fotográficos. Há as companhias que “aceitam” este equipamento num plano regular, mas não há quem tenha desenvolvido um seguro especificamente para o fotógrafo! Assim, resta-nos assumir o prejuízo e seguir em frente…  Feliz ou infelizmente, nada mais podemos fazer que não confiar a nossa sorte a dois sistemas disponíveis online. Stolen Camera Finder e Camera Forensics são dois sites que se disponibilizam para ajudar na recuperação dos bens furtados.

Considerando que um atua no mercado extra-UE e Grã-Bretanha (Stolen Camera Finder), por questões de imposição legal, o outro (Camera Forensics) não parece colocar entraves geográficos para operar.  Independentemente disso, ambos parecem trabalhar da mesma forma. Com o upload de uma qualquer fotografia tirada com o equipamento que nos foi roubado, prometem “varrer” a internet à procura de novas fotografias tiradas com a mesma câmara.

O processo é simples e sempre que é enviada uma fotografia para qualquer um dos sites é automaticamente lida a informação EXIF. Esta informação contempla a marca e o modelo da câmara, a objetiva utilizada, a distância focal usada na fotografia, entre outra informação técnica. Dessa informação técnica, o sistema recolhe o número de série da máquina fotográfica que usa para comparar com outros números de série de outras fotografias existentes online. Obviamente que este processo é falível e não garante que alguma vez possamos reaver o nosso equipamento, mas promete ser uma ajuda numa saga que, por si só, costuma morrer aos balcões de atendimentos das esquadras de polícia.

A lista de equipamentos passíveis de rastreio é limitada, mas ainda assim, a um número elevadíssimo de modelos que podem ser consultados aqui. Talvez venha este a ser o começo de um modelo de proteção que passe a ser utilizado massivamente e que venha defender os nossos investimentos… Quem sabe não se alarga o âmbito para outros equipamentos como os smartphones. Desta forma será sempre mais fácil encontrar um rasto, que vai sendo deixado online, e que nos permitirá ir ao encontro do nosso equipamento que nos foi roubado!

Espero muito sinceramente que se mantenham na ignorância quanto à utilização de qualquer um destes sites. Contudo, e como o conhecimento não ocupa espaço, convém sempre saber que existe este tipo de serviço!


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia