Blog GUIAS RÁPIDOS

Vamos aprender com os retoques dos mestres


Tempo de Leitura: 2 minutos

A fotografia só está pronta depois dos retoques finais. Mexer nas configurações e acertar pormenores fazem parte do processo criativo.

Não somos puristas. Não acreditamos que a fotografia seja tão boa quanto menos tivermos de mexer nela. Preferimos ligar a outras condicionantes como o enquadramento e a história que a imagem nos conta. Os retoques que são feitos na edição fazem parte de todo o processo.

Mexer numa fotografia é possível, tanto na vertente digital como na analógica. A utilização de ferramentas para a obtenção da imagem ideal, não é por nós condenável. Criticamos, isso sim, é a afirmação perentória de que todas as fotografias saem “assim” à primeira. É quase impossível.

Temos alguma experiência nalgum tipo de fotografia e sabemos que, por exemplo, na fotografia de vela, praticamente ninguém consegue captar uma boa imagem sem retoques. O barco é instável, as ondas obrigam a uma oscilação e uma desestabilização natural do fotógrafo, que se reflete no produto final. Arriscamo-nos a dizer que mais de 90% das imagens vêm com a linha do horizonte torta. Nem que seja apenas para “endireitar“, é preciso mexer. Já que temos a mão na massa aproveitamos para acertar tonalidades, por exemplo.

Fotografias compostas (vulgo montagens) podem ser apreciadas da mesma forma que uma fotografia (dita) normal. Seguimos a Hey.Luisa no instagram onde todas as suas publicações são fruto do seu próprio imaginário. Recorre a fotografias para as compor, revelando um resultado admirável. Goste-se ou não, o importante é perceber que o fotógrafo pode ser também um artista (apenas com ferramentas diferentes).

Existem os presets de Lightroom, por exemplo, que aplicam filtros com diversos retoques às nossas fotografias. Nada disso nos incomoda. Mas há agora uma ferramenta capaz de desmarcarar os mentirosos. Chama-se Pixel Pepper e possibilita que, no carregamento de uma imagem armazenada no nosso computador, saibamos quais as configurações usadas na pós-produção.

Pixel Pepper

Já todos se depararam com uma imagem com efeitos excecionais (nós já). Já perguntamos de que forma foi a fotografia tratada, para obter aquele resultado final. Já obtivemos a pior resposta possível: “Ahhh, não! A fotografia saiu mesmo assim, não mexi em nada!“. Para os “apanharmos” ou simplesmente aprendermos, existe agora (então) o Pixel Pepper, está lá tudo!

 

retoques-fotograficos

 

O site/aplicativo lê a informação EXIF do ficheiro e apresenta-a de forma simples. Facilmente se percebe de que forma a fotografia foi captada e quais as configurações usadas. Neste caso em concreto percebe-se que, por exemplo, foi retirada toda a cor à imagem tornando-a preto e branco. Mais se sabe com que máquina foi tirada, que lente se usou, …

Convidamo-vos a utilizar esta útil ferramenta. Não iniciem a “caça ao mentiroso”. Procurem antes as fotografias cujo resultado final é do vosso agrado e percebam de que forma foram captadas. Vão ver que é também uma forma de aprender!


Artigos que podem interessar

1 Comentário

    Deixe um Comentário