Blog GUIAS RÁPIDOS

Quando te chateares da teoria, passa à prática!


Tempo de Leitura: 3 minutos

As férias servem para muita coisa, até para descansar. Mas se andas com um projeto em mente, o melhor é pô-lo em prática. Tira as teimas… Pega no material e experimenta. Sem grandes pressas e pressões, coloca a teoria em prática!

Há muito tempo que ando para fazer uma experiência. Tenho falado e protelado, mas haveria de chegar o dia em que tinha de passar da teoria à prática. Nem de propósito; hoje foi esse dia!

Costumo frequentar uma casa que goza por ser rústica. Tem todas as condições, mas tem ainda muito elementos tradicionais dos seus mais de 70 anos de existência. Assim, e com o calor que se fez hoje sentir, não havia melhor petisco do que uma chouriça assada, acompanhada por uma boa, e fresquinha, bebida.

A ideia era antiga e provinha de alguns dos artigos que aqui já referimos e que falam de “comida voadora“. O velho truque da levitação fotográfica ao serviço da fotografia de gastronomia. Todas as condições estavam reunidas, apenas faltava a vontade. Estava na hora de por em prática tudo o que tinha vindo a aprender.

Peguei numa porta antiga, de cor azul, para fazer de fundo. Em cima de um banco, uma placa de pedra rústica. Uns pimentos padron e umas azeitonas só para fazer o efeito e … álcool! O objetivo era assar uma chouriça, mas onde as rodelas estivessem suspensas no ar.

Com um arame, alinhei as rodelas previamente cortadas e dispu-las encarreiradas, prontas a assar. Em baixo, sob a base de pedra, uma “poça” de álcool esperava que lhe ateasse o fogo. Depois de captar algumas imagens, eis que chegou o momento de aquecer a fotografia.

Uma, duas, três, …. dez, vinte fotografias depois, calculei ter conseguido o suficiente para pós produção. O objetivo era retirar o arame de entre as rodelas de chouriça, bem como apanhar chama suficiente que desse para criar o efeito desejado.

Depois de tudo, mesmo tudo, fotografado e já com o fogo extinto, chegou à altura de recolher uma imagem limpa, apenas do fundo.

O resto do trabalho foi pura montagem. Através do Affinity Photo foram sobrepostas duas layers onde a imagem com o arame estava à frente da que continha apenas o fundo. Pacientemente fui apagando a área onde o arame era visível, fazendo revelar o fundo existente na layer inferior.

Com recurso à ferramenta “pincel de restauro” foram dados os últimos retoques. Sinceramente, só não sei porque demorei tanto tempo a por em prática algo que me andava a consumir a cabeça. Fiz deste, um projeto megalómano quando na realidade foi bastante simples de concluir. Experimentem, acreditem que não se vão arrepender!

 

Ler também


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia