Blog OPINIÃO

Proibido fotografar: Ora guardem lá as câmaras…


Tempo de Leitura: 3 minutos

Muito se fala acerca da invasão de privacidade e so direito, ou não de fotografar. Há algumas ocasiões em que é proibido fotografar, ora impostas por lei, ora por consciência.

O facto de determos um equipamento que é feito para registar momentos não nos confere total autonomia de decisão. Algumas situações devem ser encaradas longe da nossa vontade, tornando-se proibido captar e registar determinados momentos.

O tema é delicado e não vamos abordar a questão dos direitos da imagem. Ja aqui abordamos o tema e remetemos ao artigo para consulta. São as questões de sensibilidade que nos levam a escrever este artigo. Questões como a privacidade e a invasão do círculo de intimidade que devemos respeitar. Sempre que não formos pagos ou contratados para fotografar, numa destas situações, por favor mantenham a câmara na mochila…

Quando a ajuda é precisa

Felizmente não vivemos atos de terrorismo, mas temos (por exemplo) os incêndios durante as épocas mais quentes. Infelizmente, são vários os registos em que vemos alguém a pedir ajuda e outros, com uma câmara não mão (máquina ou mesmo smartphone) se prestam à captação da imagem mesmo antes de prestar auxílio. É um dever cívico e se alguém nos solicita ajuda não percamos mais tempo. Caso seja possível (e autorizado) recolham a imagem à posteriori. Lembrem-se que é um ser humano que sofre e que devemos manter o respeito.

É provável que a vossa imagem possa alertar as autoridades competentes para uma situação anormal. É possível que venha a ter impacto nas redes sociais e que, a partir daí, se desencadeiem ações que venham a beneficiar os necessitados. Ainda assim, os segundos que levamos a realizar aquela(s) fotografias(s) poderão ser realmente decisivos. Não os desperdicemos!

Momentos Íntimos

A menos que sejam pagos para fazerem uma sessão fotográfica de namoro, noivado ou casamento, não registem atos de carinho ou mesmo amor entre estranhos. Tudo o que estão a fazer é provar um ao outro o quanto se importam e quanto re representam mutuamente. São assuntos pessoais dos quais não devemos querer fazer parte. Quem sabe não é um amor proibido? Quem sabe não é uma surpresa para alguém? Cada qual sabe da sua vida e no âmbito da intimidade não há nada mais sagrado que o respeito.

Caso, ainda assim, vejam que a fotografia daria um excelente “postal”, aproximem-se e solicitem a captação. Ofereçam  inclusivé uma cópia da imagem para que o casal possa ter a mesma recordação, De outra forma, afastem-se!

Cinema e Teatro

Não obstante de ser anunciado em qualquer sala de espetáculos, é proibido captar som e imagem. Mais uma vez, ressalva seja feita às devidas autorizações que são anteriormente concedidas pelas entidades promotoras. Caso contrário, a própria luz dos ecrãs dos smartphones e eventuais flashes que (estupidamente) insistem em usar, são alvo de distração para quem está em palco.

Não prejudiquem o gozo de quem pagou um bilhete para assistir a um evento só porque pretendem tirar uma fotografia ou (pior ainda) uma selfie.

Lembramos que há muitos concertos ao vivo em que o público é incentivado a usar a luz dos smartphones para criar ambiente. Antigamente usavam-se isqueiros, hoje é com os smartphones. Nestas situações, uma vez que é por indicação dos artistas, não há problema. Caso contrário, …. evitem!

 

Usem a vossa capacidade criativa para … criar! Não roubem nada a ninguém, muito menos a Paz e a tranquilidade. O respeito deve ser mútuo e se queremos ser respeitados, temos de dar o exemplo.

 


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário