Blog OPINIÃO

Os principiantes precisam de tudo menos de uma boa câmara


Tempo de Leitura: 4 minutos

Todos começamos, somos principiantes a certa altura da nossa vida. Se nos dedicamos queremos recolher os frutos do nosso investimento. Tenhamos calma e não comecemos com o “pé errado”.

Como referi acima, todos somos (ou fomos) principiantes. Uns nunca chegam a sair dessa condição enquanto outros evoluem. Há os que se preferem manter permanentemente neste patamar, mas há os que anseiam ser os melhores fotógrafos do mudo. Contra isso, nada! Contudo, tenhamos calma com as opções que tomamos inicialmente.

O que é a fotografia? O que significa ela para nós? Será realmente um modo de vida o simplesmente um romance passageiro? Para quê investir tudo numa relação cujo destino desconhecemos? É assim nas relações pessoais; é assim na fotografia. É certo que existe a fase do namoro, da descoberta. Aquela fase em que andamos iludidos e estamos dispostos a abdicar da nossa “vida” em prol de um momento.

Devemos empenhar-nos nas relações, mas sempre com a cautela que nos permite decidir qual o rumo que elas vão tomar. Valerão a pena? Será realmente bom para mim? Ora bem, …. chega de analogias! A fotografia é uma paixão… Conquista e quebra muitos corações, principalmente de principiantes.

Postura perante a novidade

Precisamos de assentar ideias. Perceber o que queremos da fotografia e qual o intuito que nos leva até ela. É importante ter uma (ligeira) ideia de qual será o nosso objetivo. Mesmo que posteriormente as coisas venham a mudar… É importante percebermos se temos a real capacidade de fazer da fotografia um modo de vida ou, pelo contrário, nunca passará de um hobby.

Aparentemente estas questões podem parecer descabidas, mas no fundo podem poupar-nos no que aqui vamos revelar… A fotografia requer investimento. Inicialmente temos sonhos e desejos e conseguimos cobrir todas as despesas pois a atividade vai ser rentável.

Calma pessoal… “Ninguém se casa para se divorciar, mas os divórcios acontecem…”. Nem tudo o que reluz é ouro e por vezes nem toda a nossa vontade e persistência superam as adversidades (embora sejam um fator muito importante nas conquistas).

Os Primeiros Passos

Para quem se vai iniciar na fotografia, o mais importante é ter uma câmara. Uma câmara que seja boa; a melhor que o orçamento possa comprar. Uma full frame ou mirrorless, mesmo que não tenhamos a certeza do que isso é… Fala-se, é um outro campeonato e é por isso que queremos ter uma.

Pois bem…. Se queremos correr, temos de aprender a andar. Há muito mais do que uma câmara. A fotografia pode ser praticada com um smartphone por exemplo. Com câmaras vintage… Se os outros (antigamente) tiravam grande fotografias, nós também conseguiremos…

Mas eu entendo… É o digital! Torna-se, a médio prazo, mais barato pois não há necessidade de revelação. Mas ainda assim vamos com calma! Somos principiantes? Ajamos como tal… Quais são as minhas necessidades? O que preciso de saber/aprender para evoluir? Onde tenho de ir/estar para poder treinar a fotografia?

Os investimentos

Para além da máquina (um corpo e uma lente) é preciso considerar outras despesas. Vamos querer aprender com alguém? Frequentar algum curso? Provavelmente nem todos os principiantes têm um GURU disponível gratuitamente… Temos de gastar em viagens, em transportes, em alimentação e até mesmo em dormidas.

Vamos começar a fotografar pessoas, modelos, desporto? É preciso pagar para ter acesso a elas (pessoas, modelos, atividades). Lemos muito e vemos uns vídeos no youtube que ensinam uns truques com uma luzes e umas formas bokeh). A coisa não fica cara, mas é preciso comprar pelo menos as luzes. Depois há a longa exposição que requer um tripé, …, e outras (muitas mais) situações que nos pesam no orçamento. Não são caras, são é muitas….

As escolhas

É importante percebermos onde queremos chegar e qual o período de tempo que pretendemos usar.  Depois, escolhamos uma câmara que sirva o nosso propósito imediato. Há até soluções que podem passar por comprar material usado ou até mesmo alugar… O importante é percebermos de que forma a fotografia se vai manter na nossa vida. Por muito que queiramos, pode ser que o destino dite uma área diferente da que inicialmente projetamos. Pessoalmente nunca me vi a fazer fotografia de espetáculo e agora tenho (vou ter) uma fotografia minha numa revista internacional da especialidade.

Tivesse eu investido na paisagem e provavelmente não teria o equipamento necessário para captar aquela fotografia. Ora bem, em boa verdade, a lente usada até foi alugada na Fragmáticos, mas dá para perceber onde quero chegar…

Usem o tempo que precisarem e dêem “passos de bebé”. Percam o tempo necessário para uma evolução e uma aprendizagem longe de erros!


Artigos que podem interessar

1 Comentário

  • Reply
    Elias Celestino
    28 Março, 2018 at 18:13

    Melhor site ahhaha
    Obrigado pelas dicas

Deixe um Comentário

Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia