Blog OPINIÃO

Pós-Produção, qual é o vosso programa preferido?

Pós-Produção-Affinity

A pós-produção é (quase) tão importante como a fotografia em si. Mas então, que programa devemos usar?

Na fotografia há erros que cometemos que devem ser corrigidos. O alinhamento do horizonte, a remoção de manchas de sujidade no sensor ou na lente, ou até a própria eliminação de elementos indesejados. Dependendo do grau de adulteração que não nos importemos de incutir no nosso trabalho, a pós-produção é o último passo para a perfeição.

Muito se fala de Photoshop e de programas de edição de imagem. Pessoalmente não consigo entender como o Photoshop funciona. Vejo vídeos e leio tutoriais e vou conseguindo “levar a água ao meu moinho”, mas não estou certo de que uso o melhor programa.

Capacidades à parte, até porque não pretendo questionar o título de “Melhor Programa de Edição” que muitos usam para o descrever, eu cá prefiro o LightRoom. Já sei que vai sempre haver quem diga: “ahhh, mas na realidade, o verdadeiro nome é Photoshop LightRoom“, … preciosismos à parte, são dois programas distintos.

Muito  mais intuitivo e com (quase) as mesmas capacidades para o tipo de correção que faço, o LightRoom tem vindo a acompanhar-me ao longo de todo o processo. Contudo, há coisas que gostava de fazer que, ali, não consigo. Montagens e criação de arte digital para trabalhos gráficos e de publicidade. Nesta área fico muito sujeito ao que há ou à utilização pouco avançada de Photoshop (ao qual sou obrigado a recorrer).

Entretanto, fui confrontado com um outro programa de edição fotográfica, o Affinity. Uma coisa me saltou à vista – o valor comercial. Enquanto que na Adobe somos confrontados com uma assinatura anual, no Affinity temos um pagamento único (à moda antiga).

Confesso que ainda não tive grande oportunidade de explorar o Affinity para pós-produção, mas o primeiro impacto, aquele que retive dos “video tutorials” parece-me bem acessível. Não, este post não é patrocinado! Não sei se continuarei a evoluir no Affinity e sim, a instalação que tenho é pirata! Enquanto não decidir por onde me vou fixar, não vou gastar dinheiro “em vão”.

Além do mais, o Affinity tem também uma versão para iPad (mas que raio, … e os utilizadores de Android, como eu?) que pode facilitar a edição on the go.

Como referi, não conheço o Affinity e apenas posso garantir que o vou explorar. Fica a dica e o canal Vimeo dos tutoriais. Vejam, e pensem se não estaremos todos “manipulados” pelo melhor programa de edição gráfica do mundo!

(Desculpem senhores da Adobe. Caso reverta a minha opinião, pedir-vos-ei desculpa publicamente).

Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário