GUIAS RÁPIDOS

Porquê ser um fotoblogger?

A internet difunde-se de forma transparente, replicando-se os acessos exponencialmente a cada dia que passa. Não há dúvida de que é a maior fonte de informação, destornando até as antigas “Páginas Amarelas”. Hoje abrimos a internet por tudo… queremos saber um endereço, consultamos a internet; para saber um contacto telefónico, consultamos a internet, .. até para termos ideias sobre o que vestir podemos consultar a internet. Esta fonte de informação ridiculamente completa está repleta de informação e de publicidade.

Por outro lado, são poucos os fotógrafos que captam imagens apenas para si e para gozo pessoal. Involuntariamente todos gostam de mostrar o seu trabalho, dá-lo a conhecer e dar-se a conhecer. No caso de agradar à vista e de poder vir a ser contratado para realizar um trabalho pago, tanto melhor. Outros, menos ambiciosos, contentam-se em saber que alguém segue o seu trabalho e que o facto de o publicitar faz com que alguém, do outro lado do mundo, possa estar á espera para saber qual a última fotografia que tirou.

Nesse sentido é importante salientar alguns pontos que devem ser considerados e devem ser fundamentais para convencer qualquer fotógrafo em se tornar um blogger.

1. Difusão
Se uma imagem vale mais do que mil palavras, por vezes poderá ser importante completar a informação visual com alguma escrita. Muitas das vezes, as fotografias são captadas em circunstâncias menos favoráveis, enaltecendo o resultado final. Assim, é importante que a cada fotografia esteja associada uma breve descrição.

2. Demonstrar capacidades e (até mesmo) equipamento
A fotografia é uma arte. Quando captada com meios rudimentares poderá ter mais valor ainda. O facto de mostrar o equipamento que se utilizou, para além de contar a história da preparação para a sessão fotográfica, permite que os seus seguidores possam acompanhar a evolução tecnológica que escolheu. Por outro lado, poderá falar daquele panning e de que forma foi feito; com a lente x, com a câmara y, …. É interessante e pode ser uma rampa de lançamento para uma discussão proveitosa.

3. Mostrar apreço
No caso de poder ter a felicidade de lucrar financeiramente com os seus trabalhos fotográficos, é muito bem visto pela comunidade de utilizadores (clientes e potenciais clientes) o facto de partilhar algumas fotografias. Os clientes gostam de se ver em situações especiais como casamentos, batizados, ou outras sessões fotográficas. O facto de disponibilizar online, no seu site/blog, uma fotografia do(a) cliente denota que teve prazer em realizar o mesmo trabalho. Ao demonstrar isso, o cliente fica satisfeito, sente-se mais próximo do fotógrafo e cria-se uma relação de proximidade que pode trazer frutos. Lembre-se sempre que deverá ter o consentimento para a publicação das fotografias. Nunca o faça sem que lhe seja dada autorização.

4. Melhora a escrita
Talvez pareça fora do contexto, mas a escrita é um dos principais meios de contacto entre o artista e o seu público. De nada adianta ter fotografias extraordinárias quando a qualidade da escrito fica muito aquém do trabalho fotográfico. Tende-se a imaginar que, se se é bom em determinada função, também deverá ser em tantas outras. Fotografar é um modo de vida, uma arte, mas saber comunicar uma ideia é fundamental. O facto de o obrigar, regularmente, a escrever um artigo para o seu site/blog leva a que acabe por refinar o vocabulários e a dominar a arte da escrita.

5. Cria audiências
Independentemente de todos os que consultam o seu site/blog sejam, ou não potenciais clientes, o simples facto de ser seguido é algo que deverá valorizar. Apresentar o seu trabalho e escrever sobre tal nunca deve ser encarado como uma obrigação ou uma tarefa regular. É importante lembrar-se que uns o(a) seguem por necessidade, porque precisam ou andam a procurar alguém que domine determinada matéria, mas há também os que o(a) seguem por gozo. É interessante percebermos que fazemos a diferença; que há alguém à espera de ler o que escrevermos … só porque sim!

6. Ajuda no workflow
Sou apologista da teoria que diz que a fotografia não acaba com o clique. Para mim a fotografia acaba quando está pronta a imprimir ou a publicar. Há todo um trabalho de pós-produção e de arranjos que é necessário fazer para melhorar a qualidade da imagem final. Há artefactos que, não sendo naturais, ficam bem (quase como num filme de ficção científica… não é real, mas é agradável à vista). Nesse sentido, o facto de publicarmos o nosso trabalho ajuda a que o mantenhamos “em dia” e obriga a que, com regularidade, executemos todos os passos como que se de um trabalho remunerado se tratasse. Assim, com prática, diminuímos o tempo de execução bem como alguma destreza que se ganha (até) na escolha das melhores fotografias.

7. Uma boa desculpa para as Redes Sociais
Com a massificação das redes sociais, habituamo-nos a partilhar tudo, TUDO! Muitas das vezes partilhamos até coisas que não devemos e que vimos, mais tarde, a arrepender-nos. Desenvolvendo um trabalho destes, e porque não nos podemos esquecer da importância e da projeção que as redes sociais nos podem dar (para o bem e para o mal), podemos ter aqui uma desculpa para “aparecermos”. Alguém, há tempos dizia: “Não apareças, mostra que chegaste!”. Publica no Facebook, no Twitter, no Instagram, no Google+, … mas faz com que seja algo de útil; não o faças só por fazer; marca a diferença!

Todos estamos aqui por uma razão. Todos preferimos fazer o que mais gostamos. Todos pretendemos lucrar, e preferencialmente viver, dos hobbies. Aproveitemos as sinergias e as vantagens do mundo digital para proveito próprio. Organizemos trabalho e ideias e deixemos que os nossos clientes divulguem o nosso trabalho à distância de um clique. Hã? O investimento? Essencialmente tempo… O investimento é tanto maior quanto mais projeção desejarmos, uma vez que há soluções totalmente gratuitas (sites e blogs) podendo evoluir para soluções mais únicas e profissionais à medida que o retorno vá chegando. O próprio facto de vivenciarmos esta experiência evolutiva no mundo digital, pode ser usado como publicidade… “O que éramos e onde estamos. Crescemos, melhoramos. Estamos aqui para fazer a diferença!”

Pensem nisto e caso sintam necessidade de uma ajuda extra, … consultem os contactos! 😀

Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário