GUIAS RÁPIDOS

Objetivas: Qual a melhor para mim?


Tempo de Leitura: 4 minutos

Compramos a nossa primeira DSLR, … mas e agora? “Já que gastei dinheiro na máquina fotográfica, talvez seja melhor começar por comprar uma objetiva mais fraquinha“! Este pensamento invade a grande maioria dos novos amantes da fotografia. Cingir-se à lente que vem de origem ou escolher uma nova pela coluna da direita, a coluna do preço, não é de todo a melhor escolha.

Antes de avançar com o tema deste artigo penso ser importante referir que já foi várias vezes demonstrada a importância de uma boa objetiva na captação de fotografias com qualidade. O duelo máquina vs lente é uma guerra acesa, mas que acaba sempre por tender para o mesmo lado. É preferível usar um corpo mais fraco, mesmo que de gama baixa, com uma lente premium do que um corpo de topo com uma objetiva mais fraca (ou corrente, para não ser tão agressivo). Em pesquisas pelo youtube, facilmente serão encontrados vídeos a comprovarem esta teoria.

Assim, antes de comprarem uma máquina (corpo) nova, tomem em linha de conta a possibilidade/necessidade de investir também em objetivas. Se vos ajudar, e caso tenham orçamento reduzido para esta compra, prefiram um corpo tecnicamente mais fraco e invistam antes numa boa objetiva. Certo é de que uma boa objetiva pode custar tanto como uma máquina, mas é assim mesmo, independentemente da marca.

No que respeita aos tipo de objetivas, eles resumem-se essencialmente em 3 tipos: Grande Angulares, Normais e Zoom. Há quem considere uma variedade superior quanto à classificação das lentes, mas a minha opinião é que as podemos enquadrar a todas nestas 3 principais categorias. Umas com características mais acentuadas que outras, mas no fundo regidas pelas mesmas funções e objetivos.

 

Objetivas Normais

As objetivas “normais”, tal como o nome indica, são objetivas que não adulteram o resultado final da fotografia. A imagem final fica igual à imagem captada pelo olho humano.  No caso de estarmos a fotografar algo com fundo, a percepção da distância entre o objeto principal e o fundo é estática, tal e qual como na vida real. São objetivas usadas por fotojornalistas ou fotógrafos de arte pois tendem a querer transparecer a veracidade e a total realidade dos factos.

 

normal-lenses

Fotografia tirada com uma lente normal. Fonte: internet

 

Objetivas Grande Angulares

As objetivas grande angulares são utilizadas quando se pretende apresentar um pouco mais do que nos é permitido com as lentes normais. Quando estamos em locais de pouca profundidade, onde não nos podemos afastar mais do objeto que estamos a fotografar e queremos incluir mais informação do ambiente envolvente, a utilização de uma grande angular parece ser a escolha acertada. Sob o ponto de vista mais criativo, a utilização deste tipo de lentes permite separar e criar uma distância maior entre o sujeito e o fundo, evidenciando ainda mais o sujeito. Por outro lado, estas lentes tendem a deformar a imagem final do centro para as extremidades. Devido à sua composição física, a imagem final tende a ficar mais “esticada” tanto mais quando mais distante do centro estiver.

Na imagem seguinte é perceptível a desproporção dos elementos que se encontram mais afastados do centro. Este, por sua vez, por estarem na “zona neutra” apresentam uma qualidade invariável relativamente à imagem original, mas por outro lado, o sapato assume um tamanho invulgar.

 

grande-angular-exemplo

Fotografia tirada com Grande Angular. Fonte: Internet

 

Objetivas Zoom

Contrariamente ao que acontece com as objetivas grande angulares, as Zoom são utilizadas para captar “mais de menos”. Reduz a quantidade de “fundo” que engloba na imagem final, evidenciando e aumentando um determinado objeto. Assim, são normalmente utilizadas para fotografar desporto, animais (vida selvagem) ou para fazer “fotografia de pormenor” ou fotografia Macro. Esta categoria engloba outras que são por muitos consideradas como outras categorias per si, como é o caso das objetivas Macro ou as teleobjetivas. Sob o meu ponto de vista, tudo apenas varia na “quantidade de zoom”; de resto o objetivo é o mesmo… aumentar um objeto que está longe. Estas objetivas tendem a fundir o fundo com o objeto. Contrariamente ao que acontece com as grandes angulares que separa e evidencia a distância entre objeto e fundo, nas objetivas Zoom essa distância tende a ser reduzida e menos evidenciada.

 

zoom-lenses

Fotografia tirada com lente Zoom (Macro). Fonte: Internet

 

Não existe uma lente específica para um determinado fotógrafo nem uma lente “melhor” para nós enquanto utilizadores, existem sim lentes melhores ou mais adequadas para o tipo de fotografia que pretendemos fazer. Tal como um jogador de golfe tem vários tacos e escolhe de acordo com as condições de onde vai dar a tacada, ou um carpinteiro tem várias ferramentas para o trabalho que pretende desempenhar, também o fotógrafo tem as suas ferramentas. Tendo em conta estas diferenças e as características de cada categoria de objetivas, o ideal é perder algum tempo na experimentação.

Obviamente que a fotografia exige muito de criatividade, e nesse sentido é comum que sejam utilizadas objetivas diferentes ou “desaconselháveis” para o tipo de fotografia que pretendemos fazer; mas por outro lado podemos estar a criar um estilo fotográfico diferente, pessoal.

Usem, experimentem, aluguem equipamento semelhante ao que estão a pensar em usar. Talvez gastem um pouco mais, mas no final considerem uma poupança com valor igual ao valor da objetiva que, erradamente, compraram… Se tiverem hipótese, peçam emprestado!

 


Artigos que podem interessar

1 Comentário

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia