Blog OPINIÃO

Melhora-te enquanto fotógrafo: 3 simples dicas


Tempo de Leitura: 3 minutos

Depois de entrarmos no mundo da fotografia, o nosso desejo é, obviamente, evoluir. Sermos reconhecidos e tronarmo-nos bons neste mundo tão competitivo é tão simples como saber a forma como cada um melhora a sua performance.

Quem quer ser profissionalmente mediano? Quem quer ser “mais um”? Quem quer serum mero executant sem sobressair por entre os colegas de trabalho? Ninguém, obviamente. Todos procuramos um lugar ao sol e um destaque que nos permits a evolução. Não obstante dessa evolução ser meramente emocional ou se tem repercussão financeira, o importante é destacarmo-nos. Assim, melhora o resultado dos teus atos. Enquanto fotógrafo, melhora as tuas fotografias…

Há muitas formas de evoluir, podemos estudar, fazer formações e entrar em inúmeros temas que nos permitem, a curto, médio ou longo prazo, atingir o patamar desejado. Contudo, (pensamos nós) que tudo se resume a 3 items fundamentais:

Escolha

Alguém com quem trabalho diariamente diz que “toda a gente aprende a fazer determinada função, desde que a repita pelo menos durante 10.000 horas”. Ou seja, mesmo que não saibas fotografar, se estiveres 10.000 horas a “disparar”, ficas a saber fotografar. Não te tornas num fotógrafo nem tão pouco um fora de série, … simplesmente aprendes a fotografar.

Extrapolando esta afirmação para um cenário onde já tens o conhecimento técnico para fazer fotografia, as 10.000 horas servirão para o aperfeiçoamento. Obviamente que não serão 10.000 horas, mas um número significativo… Escolhe uma área e melhora a forma de a fotografares. Escolhe retrato, paisagem, concertos, desporto, o que quiseres. A melhor forma de melhorares é, sem dúvida, a quantidade de horas que disponibilizares para a sua prática.

Plágio

Um tema controverso que poderá dividir opiniões. Dependendo da forma como é encarado e levado a cabo, o plágio pode ser uma das formas que tens de evoluir. Melhora o teu trabalho, a tua técnica, percebendo o trabalho dos outros e tentando reproduzi-lo. Não digo para que te manteres aí, nesse patamar, mas para o usares como alavanca para a evolução. Percebe o que fazemos teus “gurus” e dá um passo em frente. Desde que coloques um pouco mais de ti, da tua forma de interpretação e da tua técnica, já estás a ser original. Não há mal nenhum em termos uma inspiração. Mas se para conseguirmos marcar uma presença num determinado estilo fotográfico é preciso copiar, então seja.

Mais uma vez evidenciamos o facto do objetivo ser a aprendizagem, nunca o plágio no verdadeiro sentido da palavra. Não queiras ser conhecido como o “copy cat” do fotógrafo A ou B. Já sizer que te inspiraste no trabalho de A ou B não tem qualquer sentido depreciativo. Vé o processo evolutivo constituído por 3 fases: a inspiração, a adaptação e a variação…

Manual

O processo evolutivo requer conhecimento. Se por um lado, temos vindo a falar da prática, há outros temas (muitas das vezes menos desejados, mas obrigatórios) como o conhecimento técnico (ou prático). O facto de sabermos como funciona uma câmara nas diversas circunstância, torna-nos mais aptos para resolver qualquer questão de forma imediata. Conhecendo o equipamento e percebendo o seu funcionamento ao nível mais básico, dá-nos a capacidade de reação que muitas das vezes nos falta. É chato, difícil e, muitas das vezes, escusado pois temos uma função ou um modo que nos poupa trabalho. Contudo, no caso de temos de ultrapassar um problema técnico, estamos à vontade para o fazer. Lembrem-se que é nos pormenores que resido o grande valor…

 


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia