Blog GUIAS RÁPIDOS

Quando a Marca de Água não é “Segura”

marca-agua-segura

Tempo de Leitura: 2 minutos

A marcação das fotografias por via de Marca de Água deixa de ser uma forma segura para garantir a propriedade das fotografias.

O pessoal da Google tem umas ideias esquisitas, que normalmente resultam em Serviço Público. Desta vez, andaram a brincar às Marcas de Água e a testar quão segura esta pode ser. Ao marcarmos as nossas fotografias pensamos estar salvaguardados quanto ao seu uso indevido.

Uma questão polémica que temos vindo a abordar, obriga-nos a repensar toda a forma de utilizar este elemento gráfico que tanto amor/ódio gera. Não somente por uma questão estética e de publicidade, a Marca de Água “garante-nos” a veracidade e a autoria da imagem. Contudo, todo este pressuposto pode cair por terra quando corrido um script informático que retira, sem deixar rasto, todos os elementos que não pertencem à fotografia original.

O alvo é as empresas de stock image que detêm milhares de fotografias para fins comerciais. Normalmente, cada fotografia, é alvo de uma Marca de Água, da empresa que a comercializa. A Marca é retirada assim que a fotografia é vendida com direito de utilização livre. Contudo, e pelo volume astronómico de imagens disponíveis, estas são marcadas automaticamente. Este processo leva a que todas tenham a mesma Marca, sempre no mesmo sítio, facilitando a sua remoção.

O vídeo seguinte demonstra a forma como é possível todo este processo de ultrapassar a legalidade, permitindo a utilização livre, sem Marcas, de qualquer fotografia.

 

 

Mas já que por vezes é bom termos os ladrões do lado certo, a Google apresenta igualmente a solução que impossibilita a remoção, de forma indetectada, da referida marca, tornando a veracidade e autenticidade da fotografia mais segura.

O processo é simples, embora mais trabalhoso, e adianta 2 possibilidades. O utilizador (nós fotógrafos) deverá utilizar Marcas de Água diferentes. Mesmo que com o mesmo desenho, basta uma pequena variação nas cores ou opacidade para que informaticamente o algoritmo falhe. Grande parte da imagem ficará desprovida de qualquer elemento “estranho”, mas partes há em que se nota que algo não está como deveria (conforme se pode ver no vídeo).

Outra solução é colocar a Marca de Água manualmente. Dificilmente estar terá a mesma opacidade, o mesmo tamanho e ficará milimetricamente no mesmo local. Estas variações, como referimos anteriormente, impedem o sucesso do algoritmo.

Mais uma vez repensem as vossas marcas de água. Quer em termos de impacto visual, quer em termos de facilidade de utilização, o fácil (e prático) pode ser a forma menos segura de garantirmos a boa utilização das nossas fotografias.


Artigos que podem interessar

1 Comentário

  • Reply
    Assinatura: A tua próxima Marca de Água - Fotoguru
    6 Setembro, 2017 at 12:53

    […] o tamanho, cor e transparência, podemos livremente assinar cada fotografia. Remonto para o artigo que refere a capacidade existente de, informaticamente, remover qualquer Marca de Água de qualquer […]

Deixe um Comentário