Blog GUIAS RÁPIDOS

Longa Exposição sem Tripé? Sim, é possível…

longa-exposição

Tempo de Leitura: 2 minutos

Fotografias de natureza são apreciadas por todos. A Longa Exposição é uma técnica muito utilizada, principalmente se queremos demonstrar o movimento…

Alojamento Local, AirBnB, Booking e derivados, são alguns dos termos que estão em voga. Praticamente quase todas as habitações foram já pensadas como possíveis fontes de rendimento, voltadas ao turismo. Para tal, não basta fotografar a casa/apartamento, mas devemos estar cientes do meio envolvente. Quedas de água, rios e riachos são sempre apreciados, para um passeio por entre a Natureza. A Longa Exposição é uma técnica muito usada para retratar este tipo de paisagens.

Estamos preparados para fotografar uma habitação. Para venda ou simplesmente para a publicitar em sites de turismo, convém que mostremos o meio envolvente. Algumas atrações turísticas como monumentos e parques devem ser incluídas no portefólio.

Contudo, nem sempre estamos preparados para o que nos aparece à frente. Não trazemos todo o nosso equipamento indispensável ou, por qualquer razão, esquecemo-nos dele no carro. Nada, mas mesmo nada, deve ser impedimento para que consigamos desempenhar o nosso trabalho da melhor forma possível, revelando o nosso profissionalismo e a nossa capacidade de improviso (e adaptação).

O tripé costuma ser o primeiro elemento que deixamos para trás. Não é ergonómico e, por vezes, torna-se um transtorno quando temos de percorrer por locais de difícil acesso. Chegados a uma queda de água, deparamo-nos com a falta do “suporte de três pés”. Mas como podemos nós tirar uma fotografia, em Longa Exposição, sem ter o nosso tripé connosco? A resposta é: “Não é fácil, mas consegue-se…

Como fazer a fotografia?

Neste caso, o equipamento faz alguma diferença. Ter uma objetiva com uma grande abertura permite que consigamos mais luz com um menor tempo de exposição. Pretendemos ter o diafragma aberto durante, pelo menos, 2 a 3 segundos, para obter o efeito de “água leiteira”… Pousar a câmara numa rocha é assinar a sua sentença de morte. Assim, há que recorrer a alguma perícia para a realização desta imagem.

Antes de mais devemos colocar o strap à volta do pescoço. Devemos ajustá-lo de forma a que o consigamos manter esticado, ao mesmo tempo que pousamos a câmara numa superfície plana/rija. Ao esticarmos o strap aumentamos a estabilidade da câmara. Por outro lado, pousada numa rocha (por exemplo) mantemo-la fixa. Obviamente que nunca devemos largar a máquina senão, … ficamos sem ela!

Devemos regular a exposição e a abertura de modo a revelar o efeito desejado. Depois, convém ter a opção live view ativa, pois não conseguimos usar o viewfinder. Por último, e como vamos ter um tempo de exposição aproximado de 2 a 3 segundos, devemos manter-nos imóveis. Qualquer oscilação tornar-se-á fatal para que a fotografia se mantenha totalmente focada. Assim, devemos usar o mesmo truque dos snippers: prender a respiração.

Não respirar durante 3 segundos não é tarefa difícil e é uma mais valia para a Longa Exposição. Assim, é mais fácil mantermo-nos totalmente imóveis, garantindo um bom resultado final.

Provavelmente deverão ter de repetir o processo algumas vezes até conseguirmos o resultado que desejamos. Ainda assim, e considerando que não temos o equipamento todo, necessário para uma sessão mais confortável.


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário