OPINIÃO

Grupos de Facebook: Investimento ou Perda de Tempo?


Tempo de Leitura: 3 minutos

 

Não há dúvida que o facebook veio revolucionar o mundo dos negócios. Paralelamente, todas as outras áreas, apanham a boleia desta imensa rede social e colam-se à vanguarda do networking. Mas será que os Grupos do Facebook são uma vantagem ou um perda de tempo para o ramo da fotografia?

 

A vulgarização das Redes Sociais é algo que já nem é notado. Todos usam internet, todos têm Facebook e todos fazem parte de alguns quantos grupos. Estranhos são os que se recusam a entrar nesta rotina. No café, à refeição ou até numa viagem de autocarro, é vulgar olhar para o lado e perceber que alguém está online.

Por diversão, por curiosidade ou até mesmo com um intuito mais comercial/negocial, o Facebook traz-nos uma montra de potencialidades brutal. São inúmeros os potenciais clientes que nos podem surgir perante um perfil bem trabalhado. Então se fizermos parte de grupos específicos, a nossa projeção aumenta.

É normal que nos queiramos mostrar, e mostrar o quão bom o nosso trabalho é. Mantermo-nos ativos em grupos é fundamental. Contudo, pode nem tudo funcionar conforme desejarmos. Podemos perder o interesse se não formos “picados”. Vamos consultar o número de gostos em cada publicação e comparamos o nosso trabalho com os restantes.

grupos e Grupos… A facilidade com que se cria um grupo subordinado a qualquer tema é assustadora. Qualquer um tem um grupo e há grupos para tudo! Há grupos de fotografia analógica, digital, pinhole, preto e branco, cores, abstratas, a fazer o pino e até  só para noites de insónias… sei lá! Pensem numa área “estúpida” e estou certo que haverá um grupo que já fale nisso.

O acesso aos grupos pode ser geral ou restrito. Nesse caso passará pela aprovação de um qualquer (já) participante ou de um administrador, mas sem grandes orientações. Normalmente basta solicitar a entrada e é concedida quase de imediato. Tudo funciona à la garder… tirando raras e honrosas exceções… Isso significa que, naqueles onde o mote é a divulgação de trabalhos fotográficos, a avaliação raramente fica a cargo de alguém credível. Todos podem avaliar e comentar o teu trabalho, mas há normalmente alguém responsável por dar destaque às fotografias que realmente são merecedoras de tal.

Eu, por exemplo, faço parte de alguns grupos de fotografia. Uns por curiosidade e outros por interesse real. Houve recentemente uma publicação minha em determinado grupo que, estou certo, é bastante superior a uma outra que mereceu destaque. Por razões óbvias não vou confrontar os dois trabalhos pois estaria a abrir um precedente e a colocar em causa a qualidade do fotógrafo e a seriedade de quem gere aquele grupo. Ainda assim, tenho a certeza que a “tal” fotografia teve destaque por apenas retratar uns Barcos Rabelos. Apenas e só pelo simbolismo regional daquelas embarcações…

Há, por outro lado, alguns outros grupos que cultivam a formação e a entreajuda. Ensinam técnicas fotográficas (e outras alternativas) e criticam construtivamente o trabalho de quem participa. Truques e softwares de edição, etc. Há os que tratam de temas específicos como casamentos, paisagens, etc, onde temos de ter algum cuidado em perceber a forma de funcionamento. Depois de nos certificarmos de que o mesmo trabalha de uma forma que vá de encontro à nossa forma de pensar e agir, devemos trabalhá-lo.

A consulta diária (ou várias vezes ao dia), o comentário construtivo às fotografias que nos mereçam maior atenção e a colocação de gostos nas que realmente forem do nosso agrado, trarão uma atitude séria e responsável, visível e admirada pelos restantes participantes do grupo. Aí, terão eles maior curiosidade em perceber “quem és” e quais os trabalhos que fazes. Passam de te seguir no grupo a consultar a tua própria página, colocar gostos em fotografias que estão apenas no teu perfil e criar uma outra relação entre as partes.

A alimentação destas ações poderão, mais certamente, trazer-te um contacto. Esse contacto pode ser com uma dúvida, um elogio ou até mesmo com uma proposta de trabalho. Possivelmente poderás ser abordado para substituir ou auxiliar um fotógrafo. Aceita a proposta! É esse o sinal de que o teu trabalho está a ser reconhecido.

A partir daí, trabalha, trabalha e trabalha… Constrói o teu império fotográfico.

 


Artigos que podem interessar

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia