Blog GUIAS RÁPIDOS

Fotografia de viagem, quando a fazemos … sozinhos!


Tempo de Leitura: 3 minutos

Registar momentos e locais faz parte da rotina de férias. Mas como podemos ultrapassar o facto de viajarmos sozinhos quando queremos aparecer nas fotografias?

Uma vez por ano, aquando da marcação de férias, é usual optarmos por locais que nunca visitamos antes. Se vamos acompanhados tudo se torna mais fácil e agradável. Contudo, e mesmo sozinhos, não devemos deixar de conhecer novos povos e países (se for o caso) só pelo facto de não termos com quem ir.

Em tempo vi um DVD do grande Alelino Cunha, mentor do I have the Power. Era um DVD de coaching e PNL (Programação Neurolinguística) onde, a certa altura, ele dizia “adoro andar sozinho. Gosto de conviver com pessoas inteligentes“. Referia-se ao facto de, nem sempre, qualquer companhia ser a melhor. Numa abordagem um pouco diferente, lembra-me uma viagem que fiz pela Suécia, …sozinho!

Foi uma experiência muito enriquecedora e lembro-me de apreciar o facto de poder visitar os locais que bem desejava, às horas que melhor me convinha. As lembranças, registadas fotograficamente, pecaram pela falta do fator humano. Eu fui, estive lá, fui eu quem fotografou aqueles locais todos, mas não apareço em nenhuma fotografia. É esse o grande desgosto que tenho… e por isso surge este artigo.

Mesmo que não tenhamos parceiro com quem dividir as tarefas, o facto de viajarmos sozinhos não deve ser impedimento de aparecermos nas fotografias. Para registo futuro, ou também como exercício fotográfico, há algumas dicas que podem ser-vos úteis e, das quais, tenho pena de não as ter praticado.

Inspiração

Se optamos por um destino é porque algo nos fascina. Para além de termos uma noção do que há para conhecer, devemos olhar para as fotografias existentes e percebermos que tipo de área vamos encontrar. Depois, e sem plagiarmos o trabalho de outros, devemos tentar perceber de que forma ficaríamos bem na fotografia. Monumentos, locais públicos ou simplesmente uma paisagem. Qualquer um merece a nossa presença. E nós merecemos fazer parte da memória.

A escolha da melhor câmara

Se temos uma câmara fotográfica, utilizemo-la. Se não temos e pensamos comprar, devemos estudar qual a melhor relação preço/qualidade. Para uma viagem deste tipo, um smartphone ou uma compacta não nos parece que seja a melhor escolha, embora seja possível. Se não é  câmara que faz o fotógrafo, este sem câmara também não fotografa. Façam uma escolha inteligente e, se for o caso e tiverem possibilidade, aluguem. Mais uma vez vos remeto para os sites/empresas que conheço como a Digital Azul e a Fragmáticos.

A importância dos acessórios

Se vamos sozinhos precisamos de ajuda. Não havendo ninguém por perto a quem confiar o material, devemos escolher os acessórios que nos darão auto suficiência. Um tripé e um disparador automático são os principais acessórios que devemos levar. Caso a câmara tenha wifi, uma solução poderá ser a utilização do smartphone como disparador remoto.

Modo Automático

Esqueçam a máxima de que todo o fotógrafo apenas usa o modo manual. As câmaras são construídas para serem utilizadas nas mais variadas circunstâncias e se têm outros modos de fotografia é para serem usados. Uma vez que não vão estar atrás da câmara, coloquem-na em modo automático e deixem que ela faça o resto.

Filme

Se bem que as dicas são para fotografia quando estamos sozinhos, fazer pequenos vídeos pode ser uma boa alternativa. Já aqui falamos da utilização do vídeo como fonte fotográfica. Através de software de edição, é possível retirar um frame de vídeo e “convertê-lo” numa fotografia. Pode não ser a forma mais correta de o fazer, mas um pouco de batota nunca matou ninguém…

Indumentária

Para quem pretende fotografar paisagens, deve pensar um pouco na roupa que vai vestir. Grande parte dos fotógrafos de viagens (e paisagens) que aparecem em frente às câmaras veste roupa com cores garridas. O olho humano tem tendência a dar mais importância a esse tipo de contraste, focando-nos (neste caso) em nós. É óbvio que a paisagem é importante e é por isso que lá estamos, mas se queremos aparecer na imagem, então porque não darmo-nos também algum destaque? O vermelho e o amarelo são duas das melhores cores a usar, só para referência…


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário