Blog OPINIÃO

Clock Photography? Onde é que isto vai parar?

A utilização do smartphone para a fotografia instantânea vulgarizou-se. Agora é preciso criar uma nova necessidade. O que é a clock photography?

O termo clock photography não existe, é uma analogia à adaptação de um (outro) instrumento à captação de imagens estáticas. A fotografia através de relógios torna-se uma realidade cada vez mais assustadora. Dizer que a tecnologia evolui a um ritmo avassalador é algo que temos vindo a repetir e, aliás, poderia ser a primeira frase de quase todos os artigos que publicamos. “Os chineses são lixados” e criam cada coisa que “não lembra ao diabo“.

A internet está inundada de smartwatches com funções fotográficas. Uns com a câmara na bracelete, outros no lugar onde tradicionalmente está o botão de acertar as horas, certo é que, aos poucos, vamos conseguindo brincar com outros dispositivos.

Assemelhando-nos aos mais avançados espiões internacionais, temos a possibilidade de registar momentos únicos, sem que o sujeito se perceba de que está a ser fotografado. Além disso, numa situação de urgência, ser-nos-á mais fácil tirar uma fotografia com o pulso do que retirar o telemóvel, desbloquear, abrir a aplicação e tirar finalmente a fotografia.

Ja aqui falamos de alguns canais de youtube que todo o fotógrafo deve seguir. Neles podemos encontrar o DigitalRev TV. Neste canal que dispensa apresentações, são colocados à prova fotógrafos conceituados. Num dos episódios Kay W convidou Gary Tyson, um fotógrafo de guerra dos Estados Unidos da América. Pensando ele que ia fazer uma sessão de rua, foi-lhe retirado o seu material e posto no pulso um smartwatch, nos mais baratos possíveis. … e fez-se magia!

Neste pequeno video é possível ver a capacidade criativa do fotógrafo na utilização de um instrumento mais prático que bom. Neste sentido, surgem agora vídeos de um smartwatch que vem dotado de uma câmara rotativa. A câmara está instalado no anel superior do relógio de forma arredondada e gira, facilitando captar imagens de diferentes pontos de vista. Evitando que o utilizador tenha de rodar em torno de si mesmo para que a lente fique apontada ao sujeito, essa orientação é agora possível.

 

 

Será este o primeiro avanço na clock photography? Terão as marcas a começar a dar mais importância a este tipo de equipamentos? Todos sabemos que nada, mesmo nada substitui uma câmara fotográfica (analógica, Digital, DSLR, mirrorless, …), mas existe espaço para outras formas de captação de imagem?

Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário