Blog GUIAS RÁPIDOS

Fotografia Macro ao preço da “uva mijona”


Tempo de Leitura: 3 minutos

A fotografia Macro é uma área que atrai muitas paixões. Os resultados são brutais mas os preços dos equipamentos podem ser algo impeditivos para serem praticados por qualquer um.

A Macro Fotografia é uma área que não é para todos. São precisos alguns artefactos, nomeadamente lentes específicas, que nos permitem retirar o melhor do pormenor de cada elemento fotografado. O resultado, não há dúvida, de que é fantástico, mas a técnica que envolve, bem como o empenho pessoal, por vezes leva a que hajam muitas desistências.

A proximidade a que obriga a estar do objeto fotografado (ou a fotografar) é a principal razão para o abandono da prática. Contudo, o preço dos elementos necessários pode ser igualmente uma desvantagem. Assim, apresentamos 3 formas de experimentar a Macro Fotografia com um custo absurdamente reduzido.

Lente Inversa

A técnica da Lente Inversa ou Macro Invertida não é nova. Já falamos dela e é uma prática que usamos com alguma regularidade. O sistema é simples, prático e não acarreta qualquer custo adicional. Podemos praticar Macro Fotografia apenas com o equipamento que temos. Contudo, o facto de segurarmos a lente (“ao contrário”) com as mãos, pode tornar-se algo perigoso. Assim, aconselhamos sempre a aquisição de um anel próprio para inverter a objetiva.

Os preços variam entre os 0.95€ e os 8 ou 9€. Ainda assim a diferença é elevada, mas é explicada pela presença de filtros protetores para a parte de trás da lente. É que com este método, a lente fica exposta a poeiras e outros elementos indesejados. Assim, com um “vidro extra”, a proteção da lente fica garantida. A diferença é elevada, mas se considerarmos o valor isolado na fasquia dos 10€, continua a ser um absurdo não tentar.

Filtros

Os filtros são um dos vários elementos sobejamente conhecidos, e utilizados, pelos fotógrafos. Sejam polarizadores ou apenas com o intuito protetor para as objetivas, os filtros são muito utilizados. Ocupam pouco espaço e são práticos. Por outro lado, o valor que envolve a aquisição de filtros (pelo menos para a área da Macro Fotografia) não abala qualquer orçamento.

Os valores rondam os 7€ para soluções com diferentes níveis ampliação.Com fatores que vão do 1x até às 10x esta solução traz um pouco mais de qualidade ao resultado final.

O facto de estarmos a colocar um “vidro” à frente da lente, obriga a uma ligeira (quase impertcetível) perda de nitidez. Ainda assim apresenta-se como uma solução a ser considerada.

Tubos Extensores

Esta solução, a última que apresentamos, é a que consideramos para obter melhor qualidade final. Traz a desvantagem da mobilidade, pois ocupa bem mais espaço que as anteriores. Contudo, não nos parece que o espaço exigido para o transporte desta solução seja problemático. Estamos a falar duma solução que ocupa sensivelmente o mesmo espaço que uma lente de 50mm.

Adiante, …. por não usar qualquer vidro na sua estrutura, não existe perda de qualidade. O processo é simples e apenas afasta a lente da câmara criando diversos fatores de ampliação, dependendo da quantidade (e do tamanho) dos extensores usados.

A grande desvantagem deste método é a impossibilidade de utilizar elementos eletrónicos como o foco automático o a diferença na abertura. Contudo, já existem no mercado, soluções com controlo eletrónico para quem precisar ou quiser usar estas funções.

Conclusão

Não obstante da qualidade de imagem e do espaço que cada solução ocupa na nossa mochila, a escolha pode recair sobre qualquer uma das opções.

  1. Se olharmos apenas para a qualidade da imagem, a melhor solução são os tubos extensores;
  2. Para uma solução altamente portátil e de uso esporádico, o anel inversor é o melhor investimento;
  3. Se a perda mínima de qualidade/nitidez não o incomoda (até porque é quase impercetível), então escolham os filtros…

Ainda assim, cada uma das soluções traz as suas desvantagens

  1. O tempo que demora a “por tubo” e a “tirar tubo”, já o caracol se pôs a milhas;
  2. O facto de expormos a traseira da objetiva ao pó e a outros elementos que a podem danificar não é algo que agrade a muitos de nós;
  3. A perda de qualidade/nitidez pode revelar-se uma picuinhice suficientemente grande.

A escolha é vossa, mas estamos certos que para uma solução inicial, qualquer opção é boa. O importante é fazer e experimentar.


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário