Blog GUIAS RÁPIDOS

E se conseguisses equipamento fotográfico de borla?


Tempo de Leitura: 3 minutos

A fotografia exige algum investimento financeiro. À medida que evoluis, os teus gostos vão sendo mais refinados e, por conseguinte, precisas de mais dinheiro. Mas sabias que há uma forma em que podes adquirir o material de uma forma simples? Sim, pode eventualmente ficar … de borla!

O processo não é novo, só não é muito usado para este fim. Contudo, para quem está disposto a usá-lo, pode ser uma forma de não teres de despender qualquer dinheiro para comprares aquela máquina ou aquela(s) objetiva(s). Obter material fotográfico pode deixar de ser uma “dor de cabeça”, podes consegui-lo de borla.

Conheces o Kickstarter? O Indigogo? São duas das várias plataformas de crowdfunding usadas internacionalmente, para angariação de fundos. Cá em Portugal também temos plataformas deste género que te possibilitam financiar o teu futuro fotográfico de forma “gratuita”! Conhece o PPL.

O Crowdfunding

O crowdfunding está cada vez mais na moda. São plataformas de utilização geral, onde qualquer um de nós pode solicitar à comunidade dinheiro em troca de um produto ou serviço. Essencialmente, cada cliente compra o produto ou serviço pelo valor estipulado. Nestas plataformas é usual que o valor cobrado seja sempre inferior aos preços de mercado. Assim, por um valor substancialmente inferior, poderemos comprar algo que nos agrade.

Uma das grandes vantagens destes sistemas – vantagens para os clientes – é que a compra só é firmada assim que se chegue ao valor total solicitado. Por exemplo, se eu quiser comprar uma objetiva que custe 1.200€, crio uma campanha com esse valor, evidenciando/explicando qual a razão da angariação (compra de equipamento fotográfico). Por contrapartida, cada comprador terá acesso, por exemplo, a uma sessão fotográfica no valor de …X

X é o valor que cada um paga para comprar a sessão fotográfica. Contudo, o valor só lhes é retirado assim que a minha campanha atingir os 1.200€ inicialmente pedidos. Dessa forma, o cliente tem a garantia de que paga realmente o produto/serviço que comprou. Por outro lado, eu conseguirei obter o valor necessário para adquirir o material.

Trabalhar de Borla?

O processo não é totalmente gratuito, como inicialmente possa parecer. Contudo, podemos considerar que, vendendo cada sessão individualmente, o dinheiro recebido seria usado para comprar o referido material, ficando nós (na mesma) sem o valor recebido.

Nunca trabalhas de borla, apenas garantes, com cada uma das sessões, que consegues mais facilmente atingir o objetivo a que te propões. Ficas sim com o valor necessário para melhorar o teu leque de opções, obtendo o dinheiro antes da realização do trabalho. Ou seja, cada cliente paga adiantado (com as devidas garantias) e tu usas o fruto da tua campanha para comprar mais equipamento e, assim, poderes usá-lo na execução das sessões que vendeste.

Opção “win-win”

Com o crowdfunding todos saem a ganhar. Tu ganhas porque tens o que pretendes e os clientes ganham porque têm uma sessão a um preço inferior ao do mercado. Poderá não ser inicialmente mais vantajoso para ti. Contudo, se considerares que sem esta opção talvez não consigas melhorar o teu “parque fotográfico”, talvez seja melhor perder alguma coisa.

O processo seguinte é o normal. Fazes o teu trabalho, fazes as sessões fotográficas e mediante o resultado lucras com a publicidade dos teus clientes.

 

Pessoalmente, estou inclinado (à medida que escrevo este artigo) em dar início a uma campanha de crowdfunding para poder comprar alguns elementos que considero que me começam já a fazer falta. Consulta o site PPL e financia o teu futuro fotográfico.

 

Ler também

 


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia