INSPIRAÇÃO

Casamento: uma área em ascenção


Tempo de Leitura: 3 minutos

A fotografia de casamento é a razão pela qual grande parte dos fotógrafos amadores, pretendem tornar-se profissionais… ou pelo menos pensam que é esse o caminho! Na realidade, a fotografia de casamento não é assim tão linear, nem simples, quanto possa inicialmente parecer.

Cada fotografia mal tirada equivale a mais ou menos 2 anos de vida profissional que perdem (uma analogia estúpida, mas que dá para perceber o quão caros se pagam os erros). Falamos de um momento único, inesquecível e que, mesmo se os noivos se venham a divorciar, vocês não voltarão a ser ponderados sequer para fotografarem um segundo casamento. Esqueçam…!!!

A fotografia de casamento é algo que deve ser mágico, tal como o momento. Modas? Claro que sim, … também há “modas” na fotografia e há formas de contar uma história de forma diferente, muitas das vezes desafiando as próprias regras da composição fotográfica (são “cenas” a que vocês se poderão dar ao luxo assim que atingirem um patamar de excelência tal, que não precisam de “dar cavaco às tropas” e fazem o que querem, da forma que querem…). Estas “modas”, ou tendências, são ditadas pelos grandes, pelos “senhores” da fotografia que decidiram dedicar-se exclusivamente à fotografia de casamento.

Branco Prata, conhecem? Esses senhores dão-se ao luxo de fotografar os noivos e cortar-lhes a cabeça… acreditam? Ainda assim fazem de cada fotografia um casamento diferente. Algo indescritível para quem vê… Somos transportados para a cerimónia, diretamente da cadeira onde estamos sentados.

O João Almeida é outro que tal… Quem algum dia imaginou tirar uma fotografia a um casal onde cada um tinha cabeça de lego? Então o objetivo não é fotografar o noivo e a noiva como eles são, como eles estão no dia mais feliz das vidas deles? Uma cabeça de … lego?

JoaoAlmeida-legos

Legos, por João Almeida

Este Senhor foi o primeiro a quem vi fazer uma sessão de Trash the Dress… Hoje é comum e talvez tenha sido por isso que ele abandonou o tema, mas ver pela primeira vez um casal de noivos a fotografar numa igreja abandonada e com um avançado estado de degradação, chocou-me! A “beleza do horrível” e a “harmonia dos opostos” foram os dois conceitos que me saltaram à cabeça… uma delícia!

Isto para vos dizer que a fotografia de casamento, para ser bem feita, é bem mais do que … fotografar o casal, os convidados e a cerimónia. Ir aos detalhes já é bom, mas continua a não ser suficiente. Peter Adams-Shawn tornou-se famoso ao fotografar através dos olhos de outras pessoas (literalmente). Usava a imagem que queria fotografar refletida no olho de alguém e assim fez furor, como nesta imagem onde o filho vê os pais a “darem o nó”.

Casamento refletido nos olhos do filho (do casal). Foto de Peter Adams-Shawn

Casamento refletido nos olhos do filho (do casal). Foto de Peter Adams-Shawn

Esta, e outras, podem ser encontradas na página de facebook, no álbum Eyescape.

O que provavelmente vocês não sabem, é que Peter Adams-Shawn é um fotógrafo autodidata. Nunca teve formação e a vontade e o gosto pela fotografia superaram sempre todas as dificuldades que teve durante o processo de aprendizagem. Em vez de relaxar, confortavelmente, à sombra do extraordinário trabalho que apresentou e onde fascinou meio mundo, eis que aparece com um novo conceito – fotografar casamentos refletidos apenas nas alianças dos noivos.

Estúpido? Nahhhh, não acredito que mantenham essa ideia depois de consultarem esta galeria fotográfica.

Com este resultado – ou melhor, com estes trabalhos – repensem a vossa posição quanto à fotografia de casamento. Inovem, saiam da vossa zona de conforto, ensaiem, simulem, … e lembrem-se que o céu é o limite!


Artigos que podem interessar

2 Comentários

Deixe um Comentário

Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia