OPINIÃO

Câmaras fotográficas – o que de mais estranho há no mercado


Tempo de Leitura: 4 minutos

Estamos habituados a olharmos para um produto e, através das suas caraterísticas físicas, o identificarmos. Os carros são “caixotes” com 4 rodas, sendo que o caixote pode ser mais ou menos arredondado ou com outros elementos, mas é um “caixote”… Uma máquina de lavar a roupa é um paralelipípedo, normalmente branco, com uma janela redonda a meio… uma sertã (ou frigideira) é uma cena redonda com um cabo… enfim, conseguimos identificar alguns objetos só pelo aspeto que têm. Há contudo alguns que se destacam pela diferença e por terem desafiados as leis da normalidade. Aqui, e agora, pretendo apresentar o que de mais estranho há (ou houve) no mercado da fotografia.

A ordem pela qual serão apresentadas é totalmente aleatória e intemporal. A primeira que me ocorre até é relativamente recente e algo que ando “desesperado” para experimentar.

Lytro ILum

Já escrevi um artigo sobre esta câmara e não há muito mais a dizer… Uma câmara que deu o passo seguinte, tendo saído do ponto “protótipo”, mas que não tem tido grande sucesso comercial. Contrariamente ao esperado, até pelas caraterísticas que têm, o mercado tem visto esta câmara com um olhar desconfiado. Muitas promessas e, com isso, surgem as dúvidas quanto ao seu cumprimento. Não tendo um valor que se considere dispensável, acredito que o insucesso se deva essencialmente à falta de experimentação e ao seu aspeto a roçar o alienígena. Não será obviamente uma câmara “de guerra” ou para um tipo de trabalho muito profissional, mas é estranho que não tenha vingado, uma vez que tem competências para competir com as câmaras de entrada de gama e até com algumas de gama média… só mesmo experimentando.

Lytro Ilum

Lytro Ilum

Samsung Galaxy Camera 2

A Samsung é uma marca que não precisa de apresentações… Então no que respeita a smartphones, tem um dos melhores do mundo (para muitos). Sabemos que há medida que a evolução acontece, os smartphones tendem a se sobrepor às câmaras fotográficas, pelo menos num registo menos profissional. É aqui que a Samsung tenta inovar e trazer um mix estranho que, na realidade … não é nada! Ja vi muitas coisas diferentes, já vi tentativas que se tornaram num sucesso e outras que viraram flop. Neste caso, … nem sei bem classificar! A Samsung Galaxy Camera 2 é um telemóvel que não faz chamadas, com uma capacidade de zoom ótico de 21x… Não! Esperem, … É uma câmara fotográfica com um software que permite editar as fotografias e partilhá-las de imediato. Não, … bem, …. não sei! O que sei é que tem um touch screen de 4,8 polegadas e funciona com Android Jelly Bean.

Samsung Galaxy Camera 2

Samsung Galaxy Camera 2

Nikon Coolpix S1000pj

Enquanto as marcas se preocupavam em criar soluções para captar imagens, a Nikon – habituada já a estas andanças – resolvia contrariar o ciclo. Não obstante de criar uma máquina fotográfica point and shoot, a Coolpix S1000pj tinha incorporado um projetor… (Hã??? Estranho…) Pois, … sim…. um projetor que, curiosamente – dizem os entendidos – até funcionava bastante bem em condições desfavoráveis de luz e a curtas distâncias. 12MP de qualidade para uma câmara de 2009 era bastante bom, mas … por que raio havia de comprar uma câmara com projetor? Se desse, ao menos, para ver “a bola”…!

Nikon Coolpix S1000pj

Nikon Coolpix S1000pj

CreativeLabs Webcam Go

Eu confesso, … esta foi a minha primeira câmara fotográfica digital. Sim, foi esta! A CreativeLabs Webcam Go era, na realidade, uma webcam que tirava fotografias e as armazenava internamente para posterior tratamento, impressão, distribuição, ou o que quiséssemos fazer com as fotografias. Muito mau, confesso… Estávamos às portas da mudança do milénio e as câmaras fotográficas (na altura) eram bastante caras e pensei conseguir satisfazer a mesma necessidade com este equipamento cujas campanhas publicitárias o elevavam ao expoente máximo. A máquina durou, em minha posse, cerca de uma semana e nunca cheguei a saber se a qualidade era realmente má ou se tinha vindo com algum defeito de fabrico. Sinceramente e por mais estranho que pareça, pela qualidade que apresentavam as fotografias, nunca fiz muito esforço em querer responder à questão anterior.

CreativeLabs Webcam Go

CreativeLabs Webcam Go

Light

Vou tentar falar desta câmara sem que pareça uma review… Não é fácil explicar o conceito de uma câmara que apresenta 16 (sim, dezasseis) lentes num tão curto espaço físico. Quer-se criar, mais uma vez, uma câmara compacta que compita ao mesmo nível das DSLRs. As 16 lentes funcionam como um todo, numa combinação de 10 delas. Ao selecionarmos o que queremos fotografar, e porque as 16 lentes têm distâncias focais diferentes, a câmara escolhe as 10 lentes que estão em melhores condições para fotografar. Junta as 10 fotografias e une-as numa só, de elevada qualidade. O facto de termos 10 fotografias diferentes permite-nos, também, brincar com a profundidade de campo. Esta pode ser controlada, por software, no intervalo de tempo que vai desde a captura da imagem à junção das 10 fotografias num resultado único e final. Será esta mais uma tentativa falhada ou a verdadeira revolução na fotografia de qualidade numa base de total portabilidade?

Light

Light

Nós por cá continuamos atentos. Há muitas mais câmaras esquisitas, dignas de estarem aqui presentes, mas estas pareceram-nos as mais esquisitas… Conhecem alguma que deva ter sido incluída neste artigo?


Artigos que podem interessar

1 Comentário

    Deixe um Comentário