GUIAS RÁPIDOS

Bokeh


Tempo de Leitura: 3 minutos

Originalmente, o termo Bokeh significa “desfocado”. É um termo japonês para descrever um efeito existente na fotografia, proveniente da profundidade de campo, que foca o objeto principal desficando o plano de fundo.

Em fotografia adota-se o termo Boken para evidenciar as formas criadas nas “luzes desfocadas”.

Bokek-1Quando o sujeito fotografado está à frente de um ou vários pontos luminosos, estes assumem o formato de longos círculos desfocados e esbatidos. Contudo, há a possibilidade de controlar o efeito criado, alterando as formas, ou seja, o Bokeh permite que o que outrora era um círculo esbatido possa assumir outras formas. As formas mais comuns são as formas geométricas. O sujeito para a ter pontos de luz retangulares, em forma de estrela ou outros objectos simples mas que criam um efeito visual interessante.

Estes são alguns exemplos do que mais de comum se faz com Bokeh. Contudo, a originalidade e a criatividade andam sempre de mãos dadas e, dependendo do nível de abstração e do grau de experimentação que se pretenda, os resultados variam consideravelmente.

images-5 images images-3 images-4 images images-2

O processo é simples, basta recortarmos um pouco de cartolina preta com a forma e o diâmetro da objetiva. esta cartolina servirá para “taparmos” a objetiva para fotografar… Aqui, ao centro, recortamos a forma que pretendemos replicar nas “luzes desfocadas”. No caso de recortarmos uma estrela, será então em forma de estrela que faremos Bokeh; se escolhermos outra forma então será com essa nova/outra forma.

Existem já alguns kits pré-feitos com desenhos mais ou menos universais. Obviamente que custam dinheiro e, mesmo não sendo caros, para a utilização diária que lhes vamos dar, é preferível desenvolvermos uma solução caseira…

esse-bokeh-1

A execução é simples, bastando para isso olha para imagem anterior. O segredo está no recorte do efeito pretendido e na perfeição do mesmo. É essa forma que, com a incidência de luz, cria o efeito desejado, ou seja, a fotografia final vai ter tantas “estrelas” quantas luzes estiverem no fundo do objeto que estamos a fotografar. Regularmente, é comum usarem-se séries de luzes como as que colocamos anualmente no pinheiro de Natal. Assim, além de serem de cores diferentes dando um efeito ainda mais engraçado, temos a certeza de que vamos ter vários pontos de luz e, por conseguinte, vários “desenhos”.

Para aqueles que gostam de ser mais perfecionistas e/ou não queiram perder muito tempo a recortar formas que o mais certo é saíres tortas, desenhem uma circunferência preta com a forma desejada a branco no computador (podem utilizar o powerpoint ou outro qualquer programa) e imprimam. Se o fizerem em papel transparente, de acetato (também o há para impressoras) nem vão precisar de fazer qualquer recorte pois a luz atravessa o acetato que é (mais uma vez) transparente.

Boa Sorte e boas fotos!


Artigos que podem interessar

2 Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia