Blog OPINIÃO

Aprende a dizer que não! Nem sempre é bom fotografar


Tempo de Leitura: 3 minutos

Quando se trata de fotografias, queremos ser nós atrás da máquina. Não que não tenhamos confiança nos outros, mas sabemos exatamente o que queremos. Ser espectador é uma tarefa difícil, mas dizer não é por vezes essencial!

Todos sabemos que não conseguimos cobrir todos o s momentos enquanto fotógrafos. Situações há em que estamos com dúvidas quanto à nossa capacidade de dar resposta às necessidades dos clientes, bem como estarmos fora do âmbito do convite.

Convidem-me para fotografar crianças. Convidem-me para fotografar um concerto. Convidem-me também para fazer uma sessão debaixo de água, numa piscina. Só não me convidem para fotografar moda!

Nem todos os géneros fazem o nosso género. O meu ponto fraco é, de entre outros menos fortes, a fotografia de moda. Mas no caso em concreto nem é isso que estou aqui a falar… Por vezes temos de fazer o esforço e deixar de lado a câmara fotográfica.

Memórias

O Homem é um bicho estranho. Agarra-se a lembranças e gosta de voltar a viver os principais momentos da sua vida. O casamento, o nascimento de um filho, ou até o aniversário do(s) seu(s) descendente(s).

Fazer parte da moldura é desejo de quem nos convida. Fazer parte do boneco é estar em frente à câmara, como convidado. Nesse sentido, e para que mais tarde possamos comprovar a nossa participação, é importante que deixemos que outros façam o nosso trabalho.

Contratar um concorrente

Tenho mulher e tenho filhos. Terão eles a vontade de me terem ao lado deles no registo de um marco histórico no percurso deles? Claro que sim. Os meus filhos fazem anos em breve e, se por um lado tenho feito a recolha das fotografias dos aniversários anteriores, este ano pretendo que seja diferente.

O desejo de ter alguém que fotografe e registo o evento aumenta com o aproximar da data. Ter de deixar de lado uma paixão em detrimento de um amor não parece ser decisão difícil, … não é! Contudo, há sempre um pequeno desejo e uma vontade inexplicável de abdicar de algumas situações em detrimento do trabalho.

Lembro-me sempre do barbeiro. Aquele que diariamente trata do visual dos outros, saberá melhor do que ninguém como quer o seu próprio visual. Contudo, não consegue certamente trabalhar-se com o mesmo profissionalismo e detalhe com que trata os outros. Serão os barbeiros eternos frustados? Acredito que não…

Zelar pela saúde mental e espiritual

Estar de bem com a vida faz parte da conduta de qualquer profissional. Caso estejamos em Paz, o nosso trabalho refletirá a mesma tranquilidade. Poder ter o apoio familiar é para mim tão importante como ser remunerado de acordo com o meu trabalho.

Poder dizer (por vezes) que não, significa ter força para me equilibrar interiormente. Estar certo de que tomei a melhor escolha é a melhor prenda de aniversário para os meus filhos. Se me dá prazer ouvi-los dizer que uma fotografia foi tirada pelo pai, estou certo que prefeririam que estivesse estado ao lado deles, a rir e a brincar.

Um resultado… inferior

“Se fosse eu, fazia de forma diferente”… É tão normal criticar o trabalho dos outros! Um aniversário não é um casamento, ainda assim queremos que tudo corra bem.

Liberta-te! Convence-te que nunca terás uma sessão fotográfica q consideres digna do evento. Se estás na fotografia é porque tens o teu cunho pessoal e porque achas que fazes (sempre) melhor que os outros. Aliás, se estás no mercado é porque tens algo de diferente para oferecer.

Aceita a derrota e contrata um fotógrafo amigo. Dá um passo atrás para poderes dar dois à frente. No futuro, quem sabe ele não retribui o favor e não te contrata para o aniversário do filho?

 

Ler também


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia