Blog GUIAS RÁPIDOS

Ajoelhem-se infiéis! É assim que ser fotografa…


Tempo de Leitura: 2 minutos

Tudo faz parte da fotografia. A câmara, a lente, o fotógrafo, o “objeto”… As técnicas fazem toda a diferença e, por isso, ajoelhem-se! Faz toda a diferença.

Tudo começa com a habituação. Habituamo-nos à câmara, conhecemos-lhe as manhas e tiramos partido da (con)vivência. Depois vem a postura perante as situações e perante os “clientes”. Por último, começamo-nos a habituar a ver as coisas sob outra perspetiva. Já aqui falamos acerca da fotografia a partir da cintura. Agora vamos mais longe e aconselhamos: “Ajoelhem-se!

Há vários anos que ganhei a mania de olhar para onde os outros fotógrafos estão a fotografar. Sempre que vejo alguém de câmara em punho, olho para ver se “vejo alguma coisa”. Mas há uma questão que sempre me fez alguma confusão. Alguns fotógrafos abusam do Yoga durante as sessões. Eles põem-se em várias posições, e qual delas a mais ridícula. Contudo, parece que eles é que estão certos. Quanto mais abaixo fotografarmos, melhor é o resultado.

Esta verdade não é universal! Obviamente que há situações em que pouca diferença faz, mas outras saem completamente diferentes.

Evidência e Poder

A criação de uma fotografia captada “de baixo para cima” torna as pessoas mais importantes. Grandes fotografias de personagens icónicas da História Mundial são captadas segundo este conceito. Dá-lhes importância, eleva-os perante quem os olha. Ora, se quem está “lá em cima” (segundo a História) é o Rei, todos os demais são súbditos.

Na realidade é fácil perceber este conceito, mesmo sem vermos uma fotografia final que o comprove.

Porporcionalidade

A captação de uma fotografia de um ângulo superior dá uma falsa perspetiva das coisas. Mesmo sem ter percebido este conceito, muitas das minhas fotografias de tempos antigos, mostravam adultos do tamanho de crianças. Nunca percebi muito bem porquê e tendia a culpar a lente ou até mesmo a câmara. Contudo, este erro recorrente fez-me aperceber da representação tridimensional dos objetos. A matemática diz que “visto de um ângulo elevado, todo o elemento tridimensional tende a parecer mais pequeno“.

Personalidade

Não sou o único a olhar o céu“, já lá dizia o saudoso José Pedro dos Xutos e Pontapés. Para cima todos olhamos da mesma forma. Quer dizer, eventualmente uns fecham os olhos pela claridade, mas não é disso que estamos a falar…

A fotografia deverá revelar a personalidade de quem está à frente da câmara. A forma como encaramos a superioridade é (talvez) uma das melhores demonstrações de personalidade existente. Humilde ou Imponente, cada um se revê no “pedestral” conforme se sente na vida real. Por isso, não há melhor forma de captar um olhar ou uma expressão senão vista em sentido ascendente. Por isso repetimos, “Ajoelhem-se, pela vossa saúde!”.

 

Há centenas de exemplos de fotógrafos que nos mostram a diferença entre fotografar de cima, ao nível dos olhos, na cintura e ajoelhados. Há centenas de fotografias cuja diferença e a qualidade vai do ponto onde nos encontramos. Se eles o fazem, e fazem bem, porque não havemos nós de lhes seguir os passos?

Pode parecer ridículo, pode ser até doloroso, mas no final o que fica é o resultado. Esse valerá todo o esforço e por isso… Ajoelhem-se!


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário