GUIAS RÁPIDOS

A Checklist fotográfica…


Tempo de Leitura: 4 minutos

 

Quantas vezes perdeu uma fotografia pela má configuração da máquina? Quantas vezes fotografou uma paisagem ou um indivíduo e só depois percebeu que estava com o ISO elevado, ou com a prioridade errada?

Regularmente, em vários empregos, existem checklists que devem ser consultadas antes de qualquer tarefa. Normalmente utilizam-se em situações em que “jogar pelo seguro” é bem preferível do que “assumir o errado”. Ou seja, sempre que possível deveremos elaborar um conjunto de verificações de modo  minimizar erros. Na fotografia, o funcionamento não é tão diferente como em qualquer outra área.

Dependendo do tipo de fotografia que vamos realizar, poderemos ter mais ou menos tempo para alterar as configurações da máquina. Se, por exemplo, estamos a fotografar paisagens, as alterações das condições são lentas, dando tempo aos reajustes necessários; mas se por outro lado estamos a fazer fotografia de rua ou desporto, o tempo de que dispomos para reajustar a máquina pode ser o suficiente para que percamos “aquele” shot.

O ideal é conseguirmos, sempre que possível, preparar previamente o equipamento para o tipo de fotografia que vamos fazer. O processo de preparação poderá ser considerado nos três principais momentos: “Em Casa”, “Na Sessão”, “De Regresso a Casa”.

Em Casa

Por incrível que possa parecer, esta é a principal fase. É “antes” que tudo começa. Todas as decisões que tomar nesta fase terão repercussões futuras no desenrolar da sessão fotográfica. Verifique se tem as baterias carregadas, o espaço disponível no cartão de memória, limpeza do equipamento e se tem todo o equipamento necessário dentro da mochila. A todas estas questões, a resposta pode parecer óbvia, mas no final, já todos fomos atraiçoados por alguma destas variáveis.

Estado das Baterias

Não obstante de ter tido uma sessão mais ou menos intensa anteriormente, convém verificar (e porque não carregar) as baterias antes de qualquer sessão fotográfica! As baterias mais antigas tendem a dar problemas ou, em alguns casos, descarregam com inatividade… Confira! O seguro morreu de velho e, caso estejam carregadas, perde apenas 10 segundos. Por outro lado, se verificar que afinal precisavam de uma carga, poderá estar a salvar um dia de trabalho.

Dolgin_Engineering_TC200_DSLR_C_TC200_Turbo_Battery_Charger_747520

Espaço Disponível nos Cartões de Memória

Tão importante como ter bateria para fotografar, é perceber se tem espaço de armazenamento suficiente. De que adianta ter tudo preparado e não ter espaço para gravar as fotografias? Por outro lado, jogue pelo seguro; prefira espaço a mais! Limpe os cartões de memória antes de qualquer sessão. Nunca se sabe qual vai ser o espaço necessário para gravar toda a sessão.

Mem-card-main

 

Limpeza do Equipamento

A Limpeza do equipamento foi alvo de um dos primeiros artigos deste projeto. Remetendo para “Como Limpar Uma Máquina Fotográfica“, facilmente se percebe como fazê-lo e, mais importante, porque fazê-lo. Grande parte do resultado da falta de este cuidado apenas é percetível na pós-produção, quando percebemos que temos “manchas esquisitas” no meio da fotografia. Tenham sempre em atenção o bom estado do equipamento, não apenas para melhor captação das imagens, mas também por questão de longevidade do equipamento.

Captura de ecrã 2015-09-21, às 00.22.22

 

Preparação da Mochila

Se temos o equipamento pronto devemos …levá-lo connosco! Obviamente que esta é uma verdade escusada, mas … acreditem, acontece regularmente. Pessoalmente já dei por falta de material que ficou “mesmo ao lado” para uma arrumação de última hora que nunca chegou a acontecer. Não tomem nada por adquirido e confiram sempre, tudo, antes de darem o processo por terminado.

maxresdefault

 

Na Sessão

Se julgam que a preparação e a conferência de material se fica pelo momento que antecede a sessão fotográfica, então desenganem-se…!

O sujeito

Não descure o sujeito que pretende fotografar. Dependendo se é um animal, pessoa ou objeto, as configurações ideais alteram significativamente em busca da melhor qualidade de imagem. A escolha de prioridade à abertura não é a melhor forma de fotografar uma paisagem, nem uma abertura de diafragma baixa é indicada para paisagens.

depth-of-field-462x307

 

O ISO

O ISO define a sensibilidade da imagem. Influencia a velocidade do obturador e capta mais ou menos ruído na imagem. No caso de escolher um por do sol ou uma paisagem, o mais indicado é utilizar um ISO mais baixo. Se, por outro lado, pretende fotografar elementos em movimento, talvez seja aconselhável alterar um pouco o valor do ISO. Obviamente que estas não são as únicas condicionantes que fazem variar a escolha do ISO. A luminosidade é um dos fatores principais que nos levam a escolher valores diferentes, dependendo do resultado final que pretendamos obter.

Captura de Tela 2015-12-10 às 17.10.44

 

Balanceamento de Brancos

O Balanceamento de Brancos é algo que poderia nem sequer estar presente nesta lista, mas como se pretende que esta seja o mais exaustiva possível, é de considerar a sua inclusão. Podendo ser corrigida na pós-produção, o balanceamento de brancos pode ser um dos fatores diferenciadores para uma melhor fotografia “à primeira”, mais aproximada à configuração ótima. Por norma, esta definição está no valor de “automático”; experimentem acertar para a opção que melhor se ajuste às condições existentes.

Captura de Tela 2015-12-10 às 17.11.41

 

Foco

A menos que sejamos uns iluminados da fotografia e estejamos num patamar que nos permita fazer uma sessão fotográfica, puramente “artística”, com imagens desfocadas, este é um elemento de peso. Situações há em que o mais aconselhável é a utilização de foco manual, mas é importante que tenhamos o cuidado e a lembrança de voltar a colocá-lo em automático. Há outras formas de usar o foco da máquina, mas que serão abordados mais adiante, numa fase mais avançada. Para já fiquemos por aqui.

DSLR_Liveview

 

De Regresso a Casa

Esta última fase é, verdadeiramente, a repetição da primeira. Para que seja reduzida a duração da fase de preparação, nada melhor há que prevenir e/ou adiantar serviço. Imaginem que surge um trabalho não programado ou que está a decorrer um fenómeno paranormal digno de registo. No caso de não terem considerado esta terceira fase, dificilmente conseguirão ter o equipamento em condições mínimas aceitáveis para o dito registo.

 

Em resumo, tudo o que foi aqui considerado pode ser encarado como totalmente dispensável de aviso, mas é quando facilitamos que temos as principais desilusões. Acreditem na importância desta lista e sigam-na. Adaptem às vossas necessidades e, eventualmente, detalhem cada tarefa. Articulem as necessidades em prol do desenvolvimento de uma lista ideal.


Artigos que podem interessar

Sem Comentários

    Deixe um Comentário

    Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia